Notícias | Dia a dia | Australian Open
Dores nas costas preocupam Djokovic para as quartas
21/01/2019 às 15h53

Sérvio sentiu problema físico na reta final da partida

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - Garantido nas quartas de final do Australian Open, Novak Djokovic tem uma preocupação com suas condições físicas para a sequência no torneio. O sérvio sentiu um incômodo nas costas no final da partida contra o russo Daniil Medvedev nesta segunda-feira e espera se recuperar a tempo de estar em plenas condições para enfrentar Kei Nishikori na rodada seguinte.

"Tive que fazer um tratamento depois do jogo, como parte do meu programa de recuperação, porque eu não me senti tão bem nos últimos 20 minutos da partida", disse Djokovic após a difícil vitória por 6/4, 6/7 (5-7), 6/2 e 6/3 contra o russo de 22 anos e 19º do ranking Daniil Medvedev.

"Foi apenas, um pouco de fadiga e um pouco nas costas. Não é nada muito grave, mas algumas coisas que surgiram, por assim dizer, depois de uma partida como essa", avalia o jogador de 31 anos, que volta a atuar apenas na próxima quarta-feira. "Vamos ver amanhã como o corpo reage, mas estou confiante de que posso recuperar e posso estar pronto para o próximo".

A respeito do duelo de 3h15 nesta segunda-feira, o sérvio destacou o fato de o jogo ter muitos ralis longos, que tornaram a disputa ainda mais desgastante. "Mesmo que tenha sido 3 sets a 1, parece um jogo de cinco sets, na verdade. Eu estava muito desgastado fisicamente, porque não pude jogar pontos mais curtos na partida de hoje com tanta frequência".

"Foi difícil de passar por ele. Era uma espécie de jogo de gato e rato durante a maior parte do tempo. É por isso que foi tão longo. Tivemos ralis com 40 ou 45 trocas de bola. Foi fisicamente exaustivo", avaliou o número 1 do mundo, que lamentou o fato de ter perdido o segundo set depois de ter liderado a parcial por 4/1.

"Penso que fiz um bom jogo, estava com um set e uma quebra à frente, mas também como aconteceu contra o [Denis] Shapovalov, eu perdi meu saque e infelizmente o deixei voltar para o jogo. O tiebreak não foi tão bom para mim", explica o sérvio, que percebeu a queda de rendimento do rival no terceiro set. "Depois disso, os primeiros quatro jogos do terceiro set foram cruciais, e foi aí que senti que ele caiu fisicamente um pouco, e comecei a pressioná-lo para ganhar o terceiro set. Depois, ele começou a jogar bem novamente".

Após trocar sorrisos com Medvedev no cumprimento entre os dois junto à rede no fim do jogo, Djokovic revelou o teor da conversa. "Temos muito respeito um pelo outro. Treinamos juntos muitas vezes nos últimos anos, porque ele também mora em Mônaco e eu o vejo muito. Ele me perguntou se ele me fez suar e eu apenas ri, porque, eu acho que a resposta é óbvia".

Em busca de um lugar na semifinal em Melbourne, Djokovic enfrentará Kei Nishikori. Embora tenha vencido 15 jogos contra o rival e perdido apenas dois, o sérvio prega respeito ao japonês que já venceu três jogos de cinco sets neste torneio. Entre as vítimas do número 9 do mundo estão o polonês Kamil Majchrzak, o croata Ivo Karlovic e o espanhol Pablo Carreño Busta, que foi superado nesta segunda-feira.

"Kei ganhou outra maratona. Ele merece os parabéns por sair de dois sets abaixo e vencer o jogo. Ele é um lutador e muito talentoso. É um dos jogadores mais rápidos do circuito e muito trabalhador", avaliou Djokovic, que não perde para Nishikori desde 2014. "Tenho muito respeito por ele. Nós já jogamos aqui várias vezes e jogamos muito um contra o outro nos últimos dois anos em superfícies diferentes. Sei que já o venci muitas vezes, mas partidas muito equilibradas e espero mais um jogo duro".

Comentários
Faberg
Roland Garros Series