Notícias | Dia a dia | Australian Open
Osaka, Kvitova e Pliskova lutam pelo número 1
23/01/2019 às 09h32

Osaka é a única que pode chegar ao número 1 sem precisar de título em Melbourne

Foto: Luke Hemer/Tennis Australia

Melbourne (Austrália) - Com a definição das semifinalistas do Australian Open, a disputa pela liderança do ranking mundial ficou restrita a três nomes: Naomi Osaka, Petra Kvitova e Karolina Pliskova. Uma dessas jogadoras será a número 1 do mundo na próxima segunda-feira, encerrando um reinado de 64 semanas (sendo 48 seguidas) de Simona Halep.

Diante da possibilidade de confrontos diretos pela liderança do ranking, só o título interessa para Kvitova ou Pliskova. Por sua vez, Osaka é a única que pode chegar ao número 1 mesmo sem ser campeã na Austrália. Para issso, a japonesa teria que torcer contra suas duas concorrentes diretas e ver a norte-americana Danielle Collins, 35ª do ranking, conquistar o título em Melbourne.

A rodada de semifinais acontece na madrugada desta quinta-feira. Kvitova e Collins entram em quadra a partir de 1h (de Brasília). Bicampeã de Wimbledon e número 6 do mundo, a canhota tcheca venceu o único duelo anterior e tenta alcançar sua terceira final de Grand Slam.

Não antes das 2h30, será a vez da partida entre Osaka e Pliskova. O retrospecto é favorável à tcheca de 26 anos, que venceu dois dos três embates anteriores contra a japonesa de apenas 21. Ambas buscam a segunda final de Grand Slam de suas carreiras, mas enquanto Osaka é a atual campeã do US Open, Pliskova ficou com o vice em Nova York no ano de 2016.

Entre essas três concorrentes apenas Pliskova já liderou anteriormente o ranking, durante oito semanas em 2017. A melhor marca da carreira de Kvitova, de 28 anos, foi o segundo lugar alcançado em 2011. Por sua vez, Osaka é a atual número 4 do mundo e certamente sairá de Melbourne entre as três primeiras colocadas para atingir o melhor ranking da história do tênis japonês entre homens e mulhres.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series