Notícias | Dia a dia | Australian Open
Djokovic não mira Federer e sonha com o Grand Slam
27/01/2019 às 19h09

Após a conquista em Melbourne, Djokovic posou para foto com Roy Emerson, Ken Rosewall, Frank Sedgman e Rod Laver

Foto: Ben Solomon/Tennis Australia

Melbourne (Austrália) - Ao conquistar o Australian Open, mais uma vez o sérvio Novak Djokovic se tornou o campeão dos últimos três Grand Slam, repetindo uma sequência que fizeram em 2012 e 2015, sendo que na última ele chegou a completar o ciclo vencendo mais tarde Roland Garros. Único a conseguir esse feito, que nem o espanhol Rafael Nadal e tampouco o suíço Roger Federer conseguiram, ele agora sonha em um feito quase inédito: vencer os quatro num mesmo ano.

Lenda do tênis australiano, Rod Laver acredita que o tenista de Belgrado possa alcançar algo que só ele mesmo fez até então. ‘Nole’ prefere pensar em dar um passo de cada, primeiro mira novamente ficar com os quatro Slam ao mesmo tempo para depois começar a sonhar em vencê-los todos em uma só temporada. “Roland Garros ainda está muito longe e estamos só no começo da temporada, falta jogar muitos torneios grandes até lá, começando por Indian Wells e Miami e depois indo para o saibro”, disse o sérvio.

“Tenho que trabalhar o meu jogo para esse piso e quem sabe assim ter chance, mas terei grandes rivais pelo caminho, principalmente Nadal, mas também (Dominic) Thiem, (Alexander) Zverev e Roger, que provavelmente irá jogar. Acho que eu preciso colocar Rod Laver no meu time para buscar isso, afinal ele é o único que conseguiu completar esse desafio impossível e talvez o último que ainda resta”, brincou o número 1 do mundo.

Questionado sobre a volta por cima que deu, depois de viver um começo ruim em 2018, ele reforçou que nunca desistiu de si mesmo. “Não quero soar arrogante, mas não era impossível, embora fosse improvável. Sempre acreditei em mim mesmo e acho que isso é um dos segredos do meu sucesso. Precisei mais do que nunca dessa mentalidade 12 meses atrás, logo após a cirurgia, pois não estava jogando bem e nem me sentindo confortável em quadra”, afirmou o sérvio.

“Tive um grande aprendizado, abracei o processo e consegui dar a volta por cima”, complementou Djokovic, que com a taça levantada nesse domingo se tornou isoladamente o maior campeão da história do Australian Open. Ele tem sete conquistas contra seis de Federer e do australiano Roy Emerson, com quem falou brevemente após a conquista, posando para uma foto de peso com outras lendas do tênis local.

“Sr. Emerson disse que estava chateado comigo porque tinha quebrado seu recorde”, disse o sérvio aos risos. Ele agora soma 15 títulos de Grand Slam e está bem próximo aos 17 de Nadal e cada vez mais vai se aproximando dos 20 de Federer, que por enquanto é o recordista entre os homens.

"Estou ciente de que estou fazendo história no esporte que amo e isso é realmente especial. Jogar Grand Slams, os maiores eventos do circuito, é minha maior prioridade nesta temporada e nas próximas temporadas. Quantos títulos ainda estão por vir? Eu não sei e não quero ficar pensando muito nisso. Meu foco é em seguir melhorando e podendo competir em alto nível nos próximos anos", encerrou.

Comentários