Notícias | Dia a dia
Osaka encerra vitoriosa parceria com treinador
11/02/2019 às 19h22

Osaka venceu dois Grand Slam e chegou ao número 1 com Sascha Bajin

Foto: Ben Solomon/Tennis Australia

Boca Raton (EUA) - Chega ao fim, de maneira inesperada, a vitoriosa parceria entre Naomi Osaka e o treinador alemão Sascha Bajin. A número 1 do mundo e vencedora dos dois últimos Grand Slam, o US Open de 2018 e o Australian Open de 2019, fez um breve anúncio por meio de seu perfil no Twitter.

"Olá, tudo mundo. Eu não vou mais trabalhar junto com o Sascha. Agradeço a dele por seu trabalho e desejo-lhe o melhor no futuro", escreveu a jovem japonesa de 21 anos aos seus 385 mil seguidores na rede social.

A parceria entre Osaka e Sascha Bajin começou no fim de 2017, durante a pré-temporada para o ano seguinte. A japonesa começou o ano passado como número 70 do mundo e ainda sem títulos de WTA, e chegou ao Australian Open de 2018 na 72ª posição, mas escalou rapidamente o ranking.

O primeiro salto aconteceu em março, depois que Osaka foi campeã de Indian Wells vencendo nomes como Maria Sharapova, Agnieszka Radwanska, Karolina Pliskova e Simona Halep pelo caminho e foi parar no 22º lugar do ranking. Posteriormente, a japonesa conquistou seu primeiro Grand Slam no US Open, superando Serena Williams na final, e saltou do 19º para o sétimo lugar, debutando no top 10. Já no início de 2019, voltou a fazer história ao conquistar o Australian Open e assumir a liderança do ranking mundial.

O trabalho ao lado de Osaka foi o primeiro de Bajin como técnico principal de uma jogadora. O alemão de 34 anos passou mais de uma década atuando como rebatedor de grandes jogadoras do circuito, passando oito anos na equipe de Serena Williams antes de trabalhar com Victoria Azarenka e Caroline Wozniacki. Por conta da excelente temporada em 2018, Bajin foi nomeado pela WTA como o melhor técnico do ano.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis