Notícias | Dia a dia
Pliskova desiste e irmã gêmea a substitui em Doha
13/02/2019 às 14h24

Kristyna Pliskova (de preto) entrou no lugar da irmã Karolina

Foto: Arquivo

Doha (Qatar) - Uma situação curiosa envolveu as irmãs tchecas Karolina e Kristyna Pliskova nesta quarta-feira pelo WTA Premier de Doha. Número 5 do mundo, Karolina precisou desistir da competição por conta de uma doença viral. Por regra, sua vaga na chave seria herdada por uma 'lucky-loser', uma jogadora que perdeu na última rodada do qualificatório e que ganha uma nova chance. A atleta beneficiada foi sua irmã gêmea, a canhota Kristyna Pliskova, 90ª colocada.

Como Karolina Pliskova seria a segunda cabeça de chacve no torneio entre 28 jogadoras, Kristyna Pliskova não apenas herdou uma posição no torneio, como também entrou já nas oitavas de final da competição. Entretanto, a canhota tcheca acabou se despedindo com a derrota por 6/2 e 7/6 (7-3) contra a belga Elise Mertens, número 21 do mundo e que enfrentará a cabeça 5 holandesa Kiki Bertens nas quartas de final.

Nascidas em março de 1992, as gêmeas Pliskova começaram a se destacar em 2010 ainda no circuito juvenil. Naquele ano, Karolina venceu o Australian Open da categoria, enquanto Kristyna foi campeã de Wimbledon. Entre as profissionais, a canhota foi a primeira a disputar um Grand Slam (em Wimbledon/2011), enquanto a irmã só o fez em Roland Garros no ano seguinte, e também foi a primeira a chegar ao top 100 (em janeiro de 2013), dois meses antes da irmã.

Apesar do início de carreira mais favorável a Kristina, foi Karolina quem acabou despontando. A destra conquistou doze títulos no circuito, foi finalista do US Open em 2016 e chegou a liderar o ranking mundial durante oito semanas em 2017. Já Kristyna venceu apenas um torneio de nível WTA, no ano de 2016 em Tashkent, e tem como melhor ranking da carreira o 35º lugar.

A respeito da desistência, Karolina Pliskova falou à imprensa nesta quarta-feira e citou o desgaste acumulado depois de ter disputado o confronto entre República Tcheca e Romênia pela Fed Cup. "Tive febre há alguns dias. Não tenho nenhuma dor no pescoço ou algo assim, mas eu me sinto super cansada, e meus músculos estão doendo pela manhã sem que eu fizesse nada. Então, eu não sou capaz de competir 100% hoje"

"Já no dia seguinte ao da minha partida da Fed Cup contra a Simona [Halep], que foi super longa e difícil, eu me senti de alguma forma exausta. Desde o primeiro dia em Doha eu não estava me sentindo tão bem ou preparada. É normal que você esteja cansada quando você está viajando e disputando muitos jogos. Mas eu apenas sinto de alguma forma o meu corpo não está pronto".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis