Notícias | Dia a dia
Técnico convenceu Fognini a voltar para o Rio
17/02/2019 às 18h34

Fognini é o cabeça de chave 2 do torneio

Foto: Fotojump
Felipe Priante

Rio de Janeiro (RJ) - Depois de deixar o Rio Open no ano passado falando que só voltaria ao torneio se o piso mudasse, o italiano Fabio Fognini acabou voltando ao ATP 500 carioca mesmo sem a alteração e o principal culpado de sua decisão foi o treinador Franco Davin, que convenceu o atual número 15 do mundo a jogar no saibro sul-americano.

“Meu treinador (que falou para eu voltar). Pesei um pouco melhor as coisas, minhas prioridades mudaram com o filho pequeno e não quero perder seu desenvolvimento. No final do ano, junto com ele, defini que jogaria, pois é uma parte da temporada que conheço bem e costumo conquistar bons resultados”, explicou o tenista de 31 anos.

A paternidade foi um fator que ajudou o italiano a voltar aos torneios sul-americanos, uma vez que a esposa Flavia Pennetta o acompanhou no ATP 250 de Buenos Aires. “Viajar é uma coisa que me custa mais. Se não viajo com Flavia e a criança, no máximo ficou três semanas fora. Também mudou como encaro as derrotas, agora fico menos chateado. Vejo a vida de uma maneira diferente”.

Fognini abrirá campanha no Rio Open contra o promissor canadense Felix Aliassime, de apenas 18 anos. “Seguramente vai ser uma partida muito dura, contra um jogador que é muito jovem e que logo será uma grande estrela do tênis. Tenho boas recordações daqui e espero que isso entre em quadra”, comentou o italiano, que não vem de bons resultados.

“Joguei mal nos outros dois torneios (Córdoba e Buenos Aires), mas esse é um torneio grande, no qual tenho um bom histórico. Vou lutar até onde puder”, contou Fognini, eliminado na estreia nos dois eventos argentinos.

Apesar de ser o jogador que mais somou vitórias no saibro carioca, ele não vê importância nesses números. “Essas estatísticas servem para vocês (da imprensa. Posso dizer que me dou bem com a torcida brasileira e foi aqui que ganhei de (Rafael) Nadal pela primeira vez. Também fiz uma boa Olimpíadas. Espero que isso siga aqui e consiga ir bem”, observou.

O italiano ainda lamentou o fato de ter batido na trave no ano passado e não ter conseguido entrar no top 10. "Fiquei bem perto, na primeira chance acabei falhando, no US Open, e depois tive o azar de me machucar antes da semifinal de Pequim e tive que desistir antes de enfrentar Del Potro em Pequim. Por minha culpa e pela lesão acabei não conseguindo chegar entre os 10”, encerrou Fognini.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis