Notícias | Dia a dia
Djokovic e Osaka são premiados no Laureus
18/02/2019 às 18h00

Djokovic recebeu o prêmio de Atleta do Ano pela 4ª vez

Foto: Divulgação

Monte Carlo (Mônaco) - Após um segundo semestre espetacular em 2018, em que saltou do 22º lugar para a liderança do ranking mundial, com direito aos títulos de Wimbledon e do US Open, Novak Djokovic foi anunciado como o vencedor na categoria Atleta do Ano entre os homens no prêmio Laureus, considerado o Oscar do Esporte. Esta é a quarta vez que o sérvio recebe a premiação, repetindo os feitos de 2012, 2015 e 2016.

"Acho que esse prêmio reflete não apenas o trabalho de um ano, mas uma jornada de três anos. Depois que eu ganhei Roland Garros em 2016, eu atingi provavelmente o feito máximo do tênis que era ganhar os quatro Grand Slam seguidos", disse Djokovic, que concorria com os jogadores de futebol Luka Modric e Kylian Mbappé, do astro do basquete Lebron James, do piloto Lewis Hamilton e do corredor etíope Eliud Kipchoge.

"Eu aprendi muito sobre mim mesmo e sobre a vida nos últimos três anos, tive que fazer uma engenharia interna, como gosto de chamar, especialmente nos últimos 15 meses, voltando de lesão e cirurgia. Nesses momentos em que você é desafiado e enfrenta adversidades, você deve sempre olhar para si mesmo porque é lá que você vai encontrar as respostas. Sei que posso sempre encontrar força e confiança para seguir em frente", acrescentou o líder do ranking mundial.

O sérvio, que já declarou mais de uma vez que pensou em parar de jogar no ano passado, agradeceu ao apoio da esposa, Jelena, nos momentos de dificuldade. "Gostaria de agradecer à minha esposa por me apresentar outra luz. Seu apoio foi extremamente significativo nos momentos em que eu tinha dúvidas e me questionava. Jelena estava certa quando dizia que eu deveria continuar jogando tênis, porque eu estava muito mal quando eu fiz a cirurgia. Demorou alguns meses para que eu encontrasse um prósito de novo".

O jogador de 31 anos também citou o caráter transformador do esporte em seu discurso. "O esporte manda uma mensagem universal a todos e Nelson Mandela, que foi um dos fundadores dessa organização maravilhosa, estava certo quando dizia que o esporte tem o poder de mudar o mundo", afirmou. "Muitos atletas que estiveram neste palco e também na plateia hoje à noite aqueceram meu coração com suas histórias e experiências. Eles provaram para mim e para todas as demais pessoas que o espírito de luta e resiliência estão sempre presentes e que nós sempre devemos defender esses valores"

Quem também recebeu um Prêmio no Laureus foi Naomi Osaka, escolhida como Revelação, em uma categoria com dois nomes do atletismo, a jamaicana Briana Williams e o norueguês Jakob Ingebrigtsen, com o ciclista britânico Geraint Thomas, e mais duas mulheres, a esquiadora italiana Sofia Goggia e a piloto espanhola de motovelocidade Ana Carrasco. A japonesa de 21 anos, campeã do US Open de 2018 e do Australian Open de 2019, está em Dubai para a disputa do forte torneio WTA Premier local, mas gravou um vídeo em que agradeceu pelo prêmio.

"Olá a todos. Infelizmente não posso estar em Mônaco, mas gostaria de agradecer à Laureus Academy por darem a mim o prêmio de Revelação do Ano. Eu gostaria de agradecer à minha equipe e à minha família por estarem ao meu lado durante todo o ano. Também gostaria de agradecer aos demais candidatos e à Laureus Academy por me indicarem a este prestigioso prêmio. Muito obrigada", comenta a nova número 1 do tênis mundial.

Angelique Kerber e Simona Halep concorriam ao prêmio de Atleta do Ano entre as mulheres, mas o troféu foi para a ginasta norte-americana Simone Biles. O esporte brasileiro tinha dois representantes do surfe, Gabriel Medina e Maya Gabeira, que concorriam ao prêmio de melhor atleta em esportes de ação. Mas quem levou a melhor nesta categoria foi a norte-americana do snowbord Chloe Kim.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis