Notícias | Dia a dia
Com 'sorte', Federer acha que pode até ganhar Paris
19/02/2019 às 10h41

Federer pisou no saibro pela última vez em junho de 2015

Foto: Arquivo

Lausanne (Suíça) - Quatro anos de afastamento não são um total empecilho para o título. Ao menos é assim que Roger Federer encara seu retorno a Roland Garros dentro de quatro meses, onde competiu pela última vez em 2015. Aliás, nunca mais piso no saibro desde então.

"Precisaria ter um pouco de sorte, mas eu diria que posso sim ganhar Roland Garros outra vez", garantiu em entrevita ao veículo suíço RTS. "Antes de tudo, teria de contar com uma chave boa e começar firme".

Federer afirma que não voltará ao saibro apenas por prazer, mas para tentar levar títulos. "Não irei entrar sem a preparação certa, mas ao mesmo tempo não terei pressão e isso pode ser interessante. Mas é claro que existe um longo caminho até lá".

Mais uma vez, ele se diz ansioso pelo retorno a Paris. "Sempre que estive em Roland Garros, tive muito apoio do público. Minha conquista em 2009 ali foi uma das maiores da carreira".

Questionado sobre a meta de recuperar a liderança do ranking - posição que ocupa exatamente um ano atrás após vencer Roterdã -, Federer brincou. "Sempre é possível, só me falta ganhar dois ou três Grand Slam seguidos..." E emendou com maior seriedade: "Isso agora é mais complicado para mim, porque estou jogando menos. O ranking deixou de ser uma prioridade. Novak (Djokovic) ganhou três Slam consecutivos e portanto no momento minha meta é ganhar Dubai. Voltar ao número 1 é quase impossível".

Mais uma vez, ele garante que estar saudável é essencial: "Só assim poderei ganhar dos melhores e vencer torneios. Sempre que sentir que ainda posso ganhar um Slam, como há dois anos, tudo estará bem. Prefiro ser 17º do mundo e levantar um Slam do que ser terceiro e não levar nada".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis