Notícias | Dia a dia
Novo domínio de Djokovic surpreende Boris Becker
19/02/2019 às 17h05

Sérvio e sua esposa Jelena encontraram o ex-número 1 e antigo treinador do sérvio durante a cerimônia do Laureus na última segunda-feira

Foto: Divulgação

Monte Carlo (Mônaco) - O rápido retorno de Novak Djokovic ao topo do ranking menos de seis meses depois de ter aparecido na 22ª posição surpreende até mesmo o antigo treinador do sérvio Boris Becker. O alemão, que também já foi número 1 do mundo, confessa que não esperava que o antigo pupilo estabelecesse um novo domínio no circuito ao vencer os três últimos Grand Slam.

"É notável. Um ano atrás, ele estava apenas passando por uma cirurgia no cotovelo e estava apenas tentando reencontrar seus foco no tênis", disse Becker, à agência de notícias Press Association Sport. O alemão trabalhou com o sérvio entre as temporadas de 2014 e 2016.

"Não esperava que ele se catapultasse dessa forma, mas ele tem a mentalidade de campeão e sabe o que é preciso para vencer", acrescenta o alemão, que em entrevista concedida durante a cerimônia do prêmio Laureus, na última segunda-feira. Djokovic foi escolhido, pela quarta vez na carreira, como o Atleta do Ano entre os homens.

Vencedor de seis títulos de Grand Slam, Becker também falou sobre a disputa entre Roger Federer, Rafael Nadal e Novak Djokovic para saber quem terminará a carreira com o maior número de conquistas. O suíço é o atual recordista com 20 troféus, seguido pelo espanhol com 17 e pelo sérvio com 15.

"Eu não descartaria [a hipótese de Djokovic superar a marca de Federer]. Ele pode fazer isso? Sim, mas Rafa também pode. E Rafa tem 17", podenderou. "Mas quem disse que Roger também não vai ganhar mais do que 20? Talvez ele ganhe Wimbledon este ano. Há grandes pontos de interrogação. Esses três campeões continuam vencendo e enquanto continuarem jogando tênis, nada é certo", complementou o ex-líder do ranking mundial.

Becker também falou sobre a situação do britânico Andy Murray, outro ex-número 1 e vencedor de três Grand Slam, que pretende encerrar sua carreira profissional depois de Wimbledon depois de sofrer com uma lesão no quadril nos últimos dois anos. "Esta é uma decisão importante. Você tem que levar muitas coisas em consideração e, até onde eu sei, ele ainda não se aposentou oficialmente".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis