Notícias | Dia a dia
Osaka sente falta de ritmo e abalo emocional
19/02/2019 às 18h34

Osaka foi eliminada ainda na estreia em Dubai, em seu primeiro jogo como nº 1

Foto: Divulgação

Dubai (Emirados Árabes) - Eliminada ainda na rodada de estreia do WTA Premier de Dubai, Naomi Osaka reconhece que sentiu a falta de ritmo de jogo após disputar sua primeira partida desde o título do Australian Open e a chegada à liderança do ranking mundial. A jovem japonesa de 21 anos também conta que foi difícil lidar emocionalmente com o fim da relação profissional com o treinador alemão Sascha Bajin, anunciada na última semana.

"Não tenho treinado bem recentemente, mas pensei que essa sensação ruim iria embora durante as partidas. Eu meio que contava com isso, mas não aconteceu", disse Osaka após a derrota por duplo 6/3 para a francesa Kristina Mladenovic nesta terça-feira em Dubai.

"Eu estava um pouco sem ritmo, mas já aconteceu de estar pior do que agora e ainda assim conseguir jogar bem. Quando eu digo que não tenho treinado bem, eu sinto que não estou fazendo o suficiente ou algo assim", comenta a japonesa, que sofreu sete quebras de serviço e colocou apenas 45% de primeiros serviços em quadra.

"Com certeza não há ninguém que realmente ache que perder é divertido. Mas sempre aprendi que, você aprende mais quando perde do que quando ganha. Tento tomar isso como um conselho realmente importante, porque acho que é verdade", avalia a líder do ranking mundial, que não corre risco de perder sua posição nesta semana.

"Sou notoriamente dura comigo mesma", explicou "Antes do US Open, eu perdi esses três jogos seguidos e pensava 'Será que vou conseguir fazer alguma coisa na minha vida?' Tenho que pensar em um jogo de cada vez. Mesmo que aconteça que não seja necessariamente bom para mim, preciso olhar para todas as coisas positivas que eu fiz. Quero dizer, o Australian Open foi há menos de um mês", comenta a vencedora dos dois últimos Grand Slam.

Osaka também admitiu que a reação do público à notícia do rompimento com o treinador Sascha Bajin a pegou de surpresa. Famosa por ser tímida, a japonesa se emocionou ao descrever tudo o que a cercou no período que antecedeu o torneio. "Este jogo é o resultado disso. Tenho certeza de que, com o passar do tempo, vocês [jornalistas] vão parar de falar sobre isso. Por enquanto, é como se fossem a maior notícia do tênis".

"Veja, é um pouco difícil porque eu sinto que as pessoas estão me encarando, e não de um jeito bom", explica a jovem jogadora de 21 anos. "Eu não acho que eu necessariamente entenda em que posição eu estou, porque no ano passado eu nem sequer cheguei perto desse ranking. As pessoas não prestavam atenção em mim. Isso é algo com que estava confortável".

Apesar da derrota, Osaka irá para Indian Wells na liderança do ranking, enquanto se prepara para mais uma experiência inédita na carreira: defender um título pela primeira vez. "Não tenho muita certeza de como vou me sentir, porque nunca fui campeã antes. Espero poder me lembrar de todos os bons momentos que tive lá para começar a me sentir melhor comigo mesmo. Mas não posso dizer até chegar lá".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis