Notícias | Dia a dia
Munar tenta manter tênis espanhol no topo da ATP
20/02/2019 às 07h30

Munar é o 5º melhor espanhol no ranking

Foto: Fotojump
Felipe Priante

Rio de Janeiro (RJ) - País com vasta tradição no tênis, a Espanha é um dos que mais tem jogadores no top 100, tendo como grande expoente o atual número 2 do mundo Rafael Nadal. Contudo, apenas dois dos oito espanhóis entre os 100 melhores do mundo estão abaixo da casa dos 30 anos e o único realmente jovem é Jaume Munar, que estreou com vitória no Rio Open e pinta como uma das maiores esperanças por lá.

Atual 66 do mundo, Munar já é o quinto melhor de seu país na ATP, mas prefere não colocar marcas de ranking como metas. “Com 21 anos não coloco números como objetivos, o principal é me sentir um tenista melhor a cada ano que passa e seguir subindo no ranking. Em um prazo mais longo quero buscar títulos de ATP, mas não gosto de me obrigar a fazer coisas e colocar um peso desnecessário em mim mesmo. De qualquer forma gostaria de terminar o ano no top 50”.

Consolidado como tenista em Barcelona, onde treinou dos 14 aos 20 anos, ele agora está sob os olhares atentos da equipe de Nadal, treinando na academia do compatriota. “Compartilho com Rafa vários momentos meus e agradeço seu companheirismo. Ele é uma pessoa que pode me ensinar muito sobre o circuito e serve como um ponto de apoio para mim”, conta o tenista de 21 anos, que guarda com carinho uma parceria de 2015 em Hamburgo.

“Não tínhamos uma relação tão estreita e por isso fiquei muito nervoso poder dividir uma quadra com ele. Não me sinto pressionado por ser comparado com ele porque somos companheiros de trabalho e cada vez o tenho mais próximo. Isso não é problema para mim, pois a única coisa que temos é ambos sermos de Mallorca. Estou longe de seu nível e do que ele representa para nosso esporte”, falou Munar.

Motivado ao olhar para os feitos das gerações que vieram antes, o jovem atleta tem não apena em Nadal um exemplo a ser seguido, mas também revela grande admiração por David Ferrer. “Quero me espelhar em David, ele tem um tênis que eu gostaria de jogar. Mas ainda tenho um pouco mais de insegurança e jogo um pouco mais atrás e não tenho a agressividade que deveria ter, o que é normal para o momento que estou da carreira. Gostaria muito de chegar ao nível de Ferrer”, contou

O espanhol de 21 anos faz questão de reforçar a boa relação que Ferrer e Nadal têm com ele. “São pessoas muito simples e sito que têm um carinho por mim por ser um dos jovens que estão surgindo depois deles. São muito amáveis comigo e só tenho palavras de agradecimento a eles. É impressionante ver aonde eles chegaram e mesmo assim seguirem com uma humildade incrível”.

Embora não goste de colocar metas numéricas, preferindo buscar ser um jogador melhor a cada dia que passa, Munar tem seus sonhos e um deles é conseguir alcançar o top 10. Além de usar os compatriotas mais velhos como exemplos, ele mira o sucesso dos jogadores de sua geração para se motivar ainda mais no duro circuito profissional.

"Acho que (Stefanos) Tsitsipas, (Alexander) Zverv, (Borna) Coric, (Hyeon) Chung e a turma dessa idade já estão entre os principais nomes e têm mostrado tênis para isso. Há muita gente que está por volta dos 200, dos 150 que dará um grande salto nos próximos anos. Trabalho diariamente porque acredito no meu potencial”, finalizou o 66º do mundo.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis