Notícias | Dia a dia
Bellucci e Rogério confiantes para encarar mineiros
21/02/2019 às 07h05

Rogerinho e Bellucci conseguiram boa virada na estreia

Foto: Fotojump
Felipe Priante

Rio de Janeiro (RJ) - A rodada desta quinta-feira no Rio Open terminará com um duelo 100% nacional pela chave de duplas, em que os mineiros Bruno Soares e Marcelo Melo colocarão à prova todo seu favoritismo diante dos paulistas Thomas Bellucci e Rogério Silva, que entraram na chave através de convite, venceram a primeira e chegam confiantes para buscar um lugar na semi.

“É muito importante vencer e seguir vivo no torneio (mesmo que nas duplas. Isso te dá confiança. Acho que vai ser legal esse nosso próximo jogo, eu e o Thomaz vamos tentar fazer uma boa partida”, comentou Rogerinho, que tentou entrar na chave de simples através do quali, mas não conseguiu, mesma situação de Bellucci.

O canhoto de Tietê espera que as vitórias nas duplas possam ajudá-lo a encontrar o caminho em simples. “Essa é a confiança que preciso para simples, que está faltando. Conseguimos reverter um placar e espero poder levar isso para simples”, falou o atual número 3 do país em simples.

Cabeça de chave número 1 ao lado de Marcelo, Bruno comemorou a vitória sobre os jovens Thiago Wild e Mateus Alves, mas lamentou alguns vacilos. “Erramos muito o primeiro saque e os meninos conseguiram quebrar logo cedo, mas depois evoluímos. Perdemos uma grande oportunidade de matar o jogo no 2/0, oscilamos e tivemos que definir no match-tiebreak, que sempre é um sufoco”, analisou.

Para Soares, o segundo set escapou mais por erros dele e de Melo, principalmente nos saques, cometendo muitas duplas faltas, do que por algo extraordinário dos jovens rivais. Depois de pegarem uma dupla de brasileiros de simples, os mineiros terão confronto semelhante na fase seguinte.

"É aquela dinâmica da gente tentando ganhar a rede e eles dando porrada lá do fundo. Foi o que aconteceu hoje. O saibro é um piso que ajuda a galera que joga dupla de fundo, nosso objetivo vai ser tentar tirá-los da zona de conforto”, finalizou Bruno.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis