Notícias | Dia a dia
Ainda sem convite, Sá abre as portas para a Davis
22/02/2019 às 07h00

André Sá trabalha atualmente para a ITF

Foto: Fotojump
Felipe Priante

Rio de Janeiro (RJ) - Enquanto uns dizem já de antemão que não possuem interesse algum em ocupar o posto vago de capitão brasileiro na Copa Davis, caso de Fernando Meligeni, que negou veementemente a possibilidade, por outro lado há aqueles como o mineiro André Sá que enxergam com bons olhos a possibilidade de liderar a equipe nacional na competição.

Aposentado desde o ano passado, Sá mostrou estar aberto para um eventual convite, mas por enquanto não recebeu contato algum por parte da CBT. “Ainda não houve nenhum e-mail ou mensagem. Poder estar à frente da Copa Davis é algo muito especial para qualquer um que tenha essa oportunidade e para mim não é diferente”, afirmou o mineiro de 41 anos

“Se surgir a chance é claro que vou pensar sobre isso, é algo muito importante”, completou Sá, que tem contrato com a ITF, trabalhando em prol da ‘Nova Copa Davis’, até o fim deste mês. Negociando a renovação com a entidade máxima do tênis, ele disse que isso não inviabiliza necessariamente uma possibilidade juntou ao time brasileiro.

“Temos que esperar para ver. Não faz sentido perguntar para a ITF se haveria problema porque não tem ainda um convite. Se ele surgir é contatar a ITF, falar da oportunidade e ver se eles dizem se há conflito ou não”, observou o ex-número 55 do mundo em simples e 17 nas duplas.

Questionado sobre o papel do capitão na Copa Davis, ele destacou o desenvolvimento do infanto-juvenil. “Não tem que ser só ligado ao alto rendimento, ele tem que modelar esses meninos para o profissional e mostrar para eles que a Davis é onde querem chegar. Não existe uma receita de bolo, mas podemos ajudar no caminho da evolução”, afirmou Sá.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis