Notícias | Dia a dia
Bellucci e Rogerinho disparam contra o Brasil Open
22/02/2019 às 20h35

Rogerinho e Bellucci estão na final de duplas no Rio Open e não poderão jogar o qiali do Brasil Open

Foto: Fotojump
Felipe Priante

Rio de Janeiro (RJ) - Primeira dupla 100% brasileira a chegar em uma final do Rio Open, os paulistas Thomaz Bellucci e Rogerio Silva não terão apenas motivos para comemorar. Por causa da disputa do título no sábado eles não puderam jogar o qualificatório do Brasil Open e ficarão de fora do torneio que acontece na cidade natal de Rogerinho.

O principal alvo das reclamações dos dois foi o convite dado ao uruguaio Pablo Cuevas, que não se inscreveu na chave principal, entrou só no quali e acabou levando um dos wild-cards da organização. “Não temos nada contra o Pablo, ele é um amigo e está no seu papel. Fez o pedido e o torneio aceitou, mas é triste ver isso”, lamentou Bellucci.

“No meio dos jogadores vira meio que chacota. Onde que está o apoio nesses momentos quando precisamos? Estou aqui com 35 anos e não tenho nenhum patrocinador. Isso é para valorizar um pouquinho mais o que fazemos no dia a dia, acho que era o momento de ajudar o tênis brasileiro. O cara esqueceu de fazer a inscrição e está lá”, acrescentou Rogerinho.

“Tem um estrangeiro lá e é estranho. O apoio ao tênis brasileiros é sempre baixo, estamos aqui no Rio e não vamos poder depois jogar em casa. Fico triste de não jogar em São Paulo porque sempre gosto de jogar lá. Eu e o Rogério somos de lá e acho ruim não ter ninguém no torneio”, disparou o canhoto de Tietê.

Rogerinho ainda destacou situação curiosa que ele e Bellucci se encontravam hoje, uma vez que se perdessem a semi de duplas teriam tempo para voar para São Paulo e poder assim entrar no quali do ATP 250 paulistano. “Era um jogo difícil, mas agora é olhar para a frente e comemorar essa final”, encerrou o número 2 do Brasil.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis