Notícias | Dia a dia
Bellucci e Rogério viram após salvar 3 match-points
26/02/2019 às 18h23

Bellucci e Rogerinho entraram na chave com convite

Foto: Marcello Zambrana/DGW Comunicação
Mário Sérgio Cruz e Felipe Priante

São Paulo (SP) - Vice-campeões do Rio Open, os paulistas Rogério Silva e Thomaz Bellucci por pouco não caíram na estreia no Brasil Open, mas com a ajuda da torcida inflamada no Ginásio do Ibirapuera conseguiram uma espetacular virada em um jogo duríssimo contra os cabeças de chave 2, o português João Sousa e o argentino Leonardo Mayer.

Convidados da organização, Bellucci e Rogerinho encararam dois tiebreaks e um match-tiebreak para vencer de virada com placar final de 6/7 (3-7), 7/6 (7-4) e 12-10, salvando três match-points seguidos no desempate final, um deles em uma espetacular devolução de Rogerinho.

"Acho que a gente fez um bom jogo hoje, dentro das condições. A gente veio do Rio com condições diferentes e sentimos um pouco desde o princípio. Talvez não tenhamos mantido o mesmo nível que tivemos no Rio, mas acho que foi o suficiente para ganhar", disse Bellucci após a partida.

"A gente fez um jogo consistente, Rogério deu uma baita devolução no 9-8. Sabíamos que seria um jogo difícil, mas o importante é ganhar", acrescenta o canhoto de 31 anos, a respeito dos momentos decisivos da partida.

Sem quebras, o primeiro set foi definido no primeiro tiebreak do jogo, no qual Bellucci não foi bem nas vezes que foi sacar e a parcial acabou nas mãos de Mayer e Sousa, que chegaram a abrir 2/0 no segundo, mas tiveram a quebra devolvida imediatamente. Novamente a decisão foi para o desempate, em que os brasileiros foram firmes e empataram o jogo.

A torcida inflamou e nem mesmo o 6-9 impediu a virada paulista, que salvou os dois primeiros match-points com o saque e o terceiro com uma linda devolução de Rogerinho. A dupla brasileira ainda perdeu um match-point a favor e na segunda oportunidade que tiveram sacramentaram a vaga nas quartas de final, encarando Romain Arneodo/Hugo Nys ou Marcelo Arevalo/Jamie Cerretani.

"Primeira rodada já é sempre difícil e contra dois caras que fizeram semi na Austrália é mais difícil ainda", comenta Rogerinho, que destacou o apoio da torcida no Ibirapuera. "O legal é que a torcida está muito com os brasileiros. Na hora que o Thomaz sacou os dois match points abaixo era muito difícil e ele sacou muito bem. E a cada saque que ele dava, a torcida foi à loucura. Isso contagia muito a gente".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis