Notícias | Dia a dia
Após primeiro título, Djere quer 'ser o mesmo cara'
27/02/2019 às 16h25

Campeão do Rio Open, Djere estreou com vitória em São Paulo

Foto: Alexandre Carvalho/DGW
Mário Sérgio Cruz

São Paulo (SP) - Apenas três dias depois de conquistar seu primeiro título de ATP no Rio Open e ver sua história de vida ganhar as manchetes, Laslo Djere retomou sua rotina no circuito e venceu seu jogo de estreia no Brasil Open. O sérvio de 23 anos e agora número 37 do mundo manteve o embalo e estreou no ATP 250 de São Paulo vencendo o italiano vindo do quali Alessandro Giannessi por 7/6 (7-5), 4/6 e 6/4 em 2h22 de patrtida.

Depois de falar abertamente durante a última semana sobre a perda precoce dos pais por câncer, a mãe há sete anos e o pai no ano passado, Djere recebeu inúmeras mensagens de apoio do público e de outros colegas do circuito e viu jogadores do quilate de Novak Djokovic e Nick Kyrgios divulgarem sua história de superação nas redes sociais. Apesar de todas essas mudanças, o jovem sérvio garante que quer continuar sendo "o mesmo cara da última semana".

"Recebi muitas mensagens de apoio e sou muito grato por isso, mas por outro lado, eu tento ser o mesmo cara que eu era há uma semana e continuar trabalhando", afirmou Djere após sua primeira partida no Brasil Open. "Não esperava por nada dessa dimensão, mas acredito que é para isso que eu trabalho, para chegar ao top 50, para ser mais reconhecido pelo público e para jogar os grandes torneios".

Embora a mudança de status após o primeiro título de ATP e o salto no ranking sejam experiências inéditas, Djere tenta se inspirar nas vezes em que conseguia bons resultados em semanas consecutivas por torneios menores para seguir avançando na competição. "É sempre difícil jogar um novo torneio logo depois de conquistar um título, mas no passado eu já consegui fazer torneios muito bons e manter o ritmo na semana seguinte. Então espero que este seja o caso aqui também".

O sérvio reconheceu a dificuldade de adaptação por conta das condições de jogo um pouco mais rápidas em relação à semana anterior, por conta das quadras cobertas e da altitude de 760m da capital paulista. "Foi uma partida muito dura, ele é um adversário difícil. As condições são um pouco mais rápidas que as do Rio, mas eu consegui me adaptar rápido. Meu saque poderia melhorar, mas o mais importante foi vencer o jogo de hoje e eu consegui".

Adversário do tunisiano Malek Jaziri, cabeça 2 do torneio, nas oitavas, Djere já sabe o que esperar diante do experiente rival de 35 anos e 45º do ranking. Os dois já se enfrentaram três vezes, com duas vitórias do sérvio em challengers disputados no piso duro e uma vitória de Jaziri no ATP de Istambul do ano passado, realizado no saibro.

"Nós já jogamos algumas vezes, mas apenas uma no saibro, em Istambul. É difícil jogar contra ele, porque tem um ótimo forehand e usa muitos slices com o backhand. Ele é um lutador e somos bons amigos, mas espero um jogo duro e darei o meu máximo".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis