Notícias | Dia a dia
Com quadra mais rápida, Aliassime aposta no saque
28/02/2019 às 08h00

Quadra coberta e altitude de São Paulo favorecem o jogo do canadense

Foto: Marcello Zambrana/DGW
Mário Sérgio Cruz

São Paulo (SP) - Finalista do Rio Open na semana passada, Felix Auger-Aliassime segue se destacando nos torneios sul-americanos no saibro e iniciou sua trajetória no Brasil Open desbancando o tricampeão do torneio Pablo Cuevas na noite da última quarta-feira. Por conta da quadra coberta no Ginásio do Ibirapuera e da altitude de 760m da capital paulista, em relação ao torneio carioca no nível do mar, as condições das quadras em São Paulo são mais rápidas e favorecem o saque do candense, uma das principais apostas de seu jogo.

"Eu saquei muito bem. Acho que nesta semana as condições são mais rápidas e eu pude sacar bem desde o começo", disse Aliassime, após a vitória por 5/7, 6/3 e 6/3 sobre Cuevas em São Paulo. "Mesmo perdendo o primeiro set, senti que estava jogando bem e que teria chances de vencer a partida. Então eu pude lutar e seguir acreditando".

"Acho que na semana passada, talvez na semi e na final, eu não tenha sacado muito bem. Isso poderia ter me ajudado um pouco mais na final do Rio", complementou o canadense de 18 anos, que também havia superado o rival uruguaio na semifinal do Rio Open, antes de perder para o sérvio Laslo Djere no jogo que valia o título.

Apontado como uma das principais apostas para o futuro do circuito mundial desde que tinha 14 anos, em 2015, e começou a vencer seus primeiros jogos de nível challenger, Aliassime precisou lidar com a pressão e com as expectativas desde muito jovem e, por isso, acredita que amadureceu mais cedo que outros adolescentes de sua idade.

"Obviamente, eu amadureci mais cedo que outros jovens da minha idade. Acho que meu desenvolvimento foi bom, tive meus pais e minha equipe por perto para colocar coisas positivas ao meu redor. Ainda assim é difícil lidar com a situação de ser um jogador jovem a cada semana, mas me expressar da melhor maneira possível e ser a mesma pessoa", comenta o jovem jogador, que saltou do 104º para o 60º lugar do ranking após os ótimos resultados da última semana.

Aliassime disputa as oitavas de final contra o canhoto espanhol Albert Ramos, ex-número 17 do mundo e atual 86º do ranking aos 31 anos. O encontro é inédito no circuito e acontece por volta das 16h (de Brasília) desta quinta-feira. "É mais um jogo difícil. A chave é muito dura. Albert já foi finalista em Monte Carlo, é um jogador experiente. Espero por um jogo duro, mas acredito que tenho as minhas chances".

Adversário de Aliassime na partida das oitavas, Ramos destaca o início de carreira promissor de seu jovem rival e acredita que o canadense ainda tem muito a evoluir. "Nunca joguei contra ele, mas sei que é um grande jogador. Ele já é muito bom, mas creio que pode se tornar um daqueles jogadores que marcam época", disse após a vitória por 6/1 e 6/3 sobre o canhoto argentino Facundo Bagnis, na última terça-feira.

"Ele um dos jovens jogadores que mais se destacam. Todos sabemos de suas grandes qualidades", comenta o ex-top 20, que prefere não determinar até onde ele acha que o rival pode chegar. "Não sou advinho e, normalmente, tento focar no que eu tenho que fazer, mas podemos ver que ele será um grande jogador".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis