Notícias | Dia a dia
Ruud elimina favorito e fica bem perto do top 100
28/02/2019 às 16h47

Ruud derrotou o português João Sousa no Rio e em São Paulo

Foto: Marcello Zambrana/DGW
Mário Sérgio Cruz

São Paulo (SP) - Destaque nas competições de base durante a carreira juvenil, chegando a ser o número 1 da categoria, e nos primeiros anos da fase de transição ao profissionalismo, Casper Ruud está cada vez mais perto de entrar no grupo dos cem melhores jogadores do mundo. O jovem norueguês de 20 anos chegou às quartas de final do Brasil Open, torneio ATP 250 em São Paulo, ao surpreender o português João Sousa, cabeça 1 do torneio e 38º do ranking, por 6/3 e 6/4 em 1h15 de partida.

Esta foi a segunda vitória seguida de Ruud contra Sousa, já que o norueguês já havia derrotado o português durante sua campanha até as quartas de final do Rio Open durante a última semana. O promissor atleta de 20 anos já havia iniciado o torneio com a melhor marca da carreira, no 108º lugar, depois de ter saltado 27 posições com os bons resultados da semana passada.

A campanha em São Paulo rende 45 pontos no ranking mundial e provisoriamente o coloca na 99ª colocação, mas ele ainda precisa esperar por resultados do argentino Marco Trungelliti, também nas quartas do Brasil Open, e de jogadores envolvidos no challenger de Indian Wells. Ainda assim, Ruud comemora seu bom momento e quer ir ainda mais longe.

"Ainda não sei qual será o meu novo ranking, mas acredito que estarei bem próximo do centésimo lugar", disse Ruud após a partida. "Agora que há a possibilidade de que eu consiga entrar no top 100 na próxima semana é ótimo, é um grande passo para o início da minha carreira, mas o objetivo principal continuar evoluindo até o fim da minha carreira e não apenas ser top 100. Espero continuar nessa jornada".

O primeiro momento de destaque do norueguês no circuito havia acontecido também em solo brasileiro. Há dois anos, ele recebeu convite para a disputa do Rio Open e se destacou no ATP 500 carioca ao atingir sua primeira e até hoje única semifinal na elite do circuito.

"Estou mais estável do que era há dois anos, no Rio. Tive um grande torneio e fui muito rápido do 230º para o 120º lugar do ranking, mas tudo era muito novo para mim. Talvez eu ainda não estivesse pronto para competir em alto nível por muitas semanas seguidas. Sinto que estou mais pronto agora e tenho mais experiência", acrescenta o jovem noruguês, que é filho do ex-jogador profissional Christian Ruud, ex-número 39 do mundo.

O adversário de Ruud nas quartas será o boliviano Hugo Dellien, jogador de 25 anos e 95º colocado. "Nunca joguei contra ele, mas o conheço um pouco. Já treinei com ele algumas vezes e conhecemos os estilos um do outro".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis