Notícias | Dia a dia
Toni Nadal e Mouratoglou contestam novas regras
03/03/2019 às 17h37

Toni Nadal fez duras críticas ao novo sistema da ITF

Foto: Arquivo

Manacor (Espanha) - As frequentes críticas vindas de jogadores de ranking mais baixo à Federação Internacional de Tênis (ITF), por conta da reestruturação dos torneios menores do circuito profissional ganharam reforço de dois treinadores importantes no circuito, Toni Nadal e Patrick Mouratoglou. Por meio das redes sociais, os dois exigem que sistema seja revisto.

"Qual deveria ser o objetivo da Federação Internacional de Tênis? Na minha opinião é promover o nosso esporte e torná-lo acessível a todos os jogadores", disse Toni Nadal, que atualmente administra a Rafa Nadal Academy em Mallorca. "As novas regras adotadas desencorajam os jogadores. Quem poderá jogar com essas novas regras? Apenas os jogadores ricos, jovens, e que podem disputar o circuito na Europa. Isso é correto? Acho que não".

"O que acontece com as pessoas que não têm tanto dinheiro? O que acontece com as pessoas que escolheram estudar agora, mas que querem se tornar jogadores profissionais no futuro? Eles não podem. Então, na minha opinião, é preciso mudar essas regras e tornar as coisas mais fáceis para todo mundo", comenta o tio e ex-treinador de Rafael Nadal.

Já Mouratoglou, que é o atual técnico de Serena Williams, além de administrar uma das maiores academias do mundo na França, reiterou as declarações do colega e escreveu no Twitter. "Eu concordo 100% com o Toni. A ITF precisa repensar essas regras. Temos de apoiar os jogadores que estão entre 100º e o 1000º lugar na ATP e tornar as coisas possíveis para eles, em vez de desencorajá-los".

Lembrando que a partir deste ano, apenas os resultados em torneios válidos por torneios da elite do circuito masculino, nos challengers e nas fases finais de ITF de US$ 25 mil passam a valer para o ranking da ATP. Já na WTA, valem os pontos do primeiro escalão e dos ITF a partir de US$ 25 mil. Os torneios de US$ 15 mil já não valem mais pontos para a ATP e WTA e os resultados obtidos no ano passado em eventos deste porte foram convertidos em pontos de um ranking de profissionais da ITF, que visam facilitar a entrada em torneios maiores.

As medidas foram duramente criticadas por jogadores, que alegam estar mais difícil para entrar nos qualificatórios de torneios, além de precisarem passar por rodadas duplas no quali enquanto buscavam vagas na chave principal. Na última semana, a Federação já anunciou a revisão de uma das regras e aumentou o número de jogadores nos qualificatórios de seus torneios, de 24 para 32 nomes.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis