Notícias | Dia a dia
Murray considera jogar duplas em Wimbledon
07/03/2019 às 07h17

Britânico lembra que nenhum outro jogador de simples fez cirurgia parecida

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - Em recuperação da segunda cirurgia no quadril, realizada no fim de janeiro, Andy Murray considera a possibilidade de disputar a chave de duplas em Wimbledon. Isso porque, embora já se sinta sem dor, o ex-número 1 do mundo está ciente de que não há histórico de outros jogadores de simples que passaram pelo mesmo procedimento.

"Para jogar Wimbledon em simples, eu diria que há menos de 50% de chance, mas para jogar duplas talvez exista uma possibilidade", disse Murray, em entrevista à BBC. "Bob Bryan fez a mesma operação e estava competindo cinco meses depois, mas existe uma vasta diferença entre simples e duplas em termos de fisiologia e efeitos para o corpo".

"Eu acho que é possível voltar aos jogos de simples, mas não quero dizer que é muito provável, porque não foi feito antes. Eu não posso citar outro tenista que fez isso. Os cirurgiões disseram que eu posso tentar, mas não poderiam me dar nenhuma garantia", avalia o jogador de 31 anos, que anunciou durante o Australian Open, em janeiro, que pretende se aposentar em Wimbledon.

"A coisa que me dá esperança é que na Austrália e nos últimos 18 meses meu quadril estava muito ruim e eu ainda fui capaz de competir e vencer algumas partidas contra jogadores muito bons. Se meu quadril está melhor agora e com menos dor, há uma chance de que eu possa fazer isso de novo", completa o britânico, que disputou doze partidas no ano passado e mais três neste início de temporada.

Murray destaca que vai demorar alguns meses para que ele volte a treinar e ver em que nível será capaz de atuar. "Eu tenho que esperar e ver. Não tenho permissão para começar a fazer nenhum movimento de alto impacto nos primeiros quatro meses após a cirurgia e é só então quando eu posso ver se posso competir em qualquer nível", afirmou. "Ser um top 10 novamente, é bastante improvável, mas eu poderia chegar ao top 50, top 100? Isso pode ser possível".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis