Notícias | Dia a dia
Vlogs, yoga, poker: tenistas e seus diferentes hobbies
07/03/2019 às 11h05

Nadal usa golfe e poker como meios de tirar o stress

Foto: Arquivo

O jogador de tênis profissional não tem muito tempo livre. No circuito da ATP, os torneios acontecem por cerca de 11 meses por ano e as férias geralmente duram menos do que um mês.

No entanto, mesmo com pouco tempo para descansar, alguns jogadores conseguem se destacar em outras atividades e abaixo separamos as favoritas de alguns dos principais tenistas atuais.

Milos Raonic: basquete
O canadense é uma torre com os seus quase dois metros de altura e utiliza a sua estatura muito bem para gerar um saque potente e praticamente imparável. Se ele não se tornasse jogador de tênis, muito provavelmente teria buscado uma carreira nas quadras de basquete.

Apesar dos recorrentes problemas físicos, o canadense adora praticar esse esporte nas horas livres e já chegou a participar do jogo das celebridades da NBA, festividade anual que acontece no All-Star Break. Raonic impressionou tanto nessa partida amistosa que chegou até a “enterrar” a bola.

“Foi um objetivo para mim por muito tempo (participar das festividades do All-Star Break). Sou um fã de Kevin Durant e apoio muito o Toronto Raptors, que é o meu time”, disse em Raonic em 2016, antes de participar do jogo das celebridades.

Rafael Nadal: golfe e poker
Não é novidade para ninguém que o espanhol tem um espírito competitivo que provavelmente nenhum outro jogador de tênis conseguiu igualar na história do esporte. A garra e a vontade de vencer são incomparáveis, assim como sua busca pela melhora contínua.

Essa necessidade de competir e jogar entre os melhores também é traduzida para os hobbies de Nadal e ele adora passar o tempo livre praticando outras modalidades.

Um dos principais passatempos de Nadal é o golfe, esporte em que ele participa de alguns torneios amadores. “Eu amo golfe. Você sempre passa por lugares fantásticos enquanto joga. Qual outro esporte tem isso?”, disse uma vez.

Nadal também é um grande entusiasta do poker, esporte que cativa muitos outros atletas, como o nadador Michael Phelps, os boleiros Neymar e Moisés e tantos outros que já apareceram em grandes competições e eventos do esporte das cartas.

“É um esporte incrível, pois você sempre precisa tomar decisões e isso é o que ajuda a tornar o poker tão atrativo”, afirmou o espanhol.

A parte estratégica também atraiu Nadal ao esporte das cartas. Segundo o espanhol, o poker é uma das modalidades mais estratégicas que existem e nesse esporte mental sempre é necessário estar um passo à frente do adversário.

Nadal já tem experiência com o poker há anos. Entre as várias modalidades disponíveis, o espanhol gosta de praticar a Texas Hold’em, reconhecida por ser a mais popular entre profissionais e amadores.

Ele disputou seu primeiro torneio profissional em 2013, em um evento que aconteceu em Praga, na República Tcheca, e foi válido pelo European Poker Tour. O espanhol também chegou a participar de outras competições, mas sem resultados expressivos.

Em 2013 e 2014, Nadal jogou duas partidas contra Ronaldo “Fenômeno” e levou a melhor em ambas ocasiões. Na segunda vitória do espanhol, ele ganhou impressionantes R$ 130 mil por derrotar o ex-atacante da Seleção Brasileira.

Além disso, Nadal gosta de praticar a modalidade contra amigos esportistas nos famosos “home game”. Juan Carlos Navarro, ex-jogador de basquete do Barcelona, é um dos amigos do tenista que geralmente comparece aos minitorneios organizados por ele.

Stefanos Tsitsipas: vlogs
“Se eu não tivesse o meu próprio mundo, provavelmente eu enlouqueceria” brincou uma vez o grego Tsitsipas. O fato é que o jogador top 10 do ranking da ATP precisa se distrair de todo desgaste físico e mental dos jogos de tênis ao longo dos 11 meses por temporada e encontrou um jeito muito divertido de gastar o seu tempo.

Tsitsipas adora criar pequenos vlogs e assim registrar os lugares que viaja para disputar partidas de tênis. Tudo começou em 2017 quando o grego disputava o US Open e desde então ele não largou a ideia.

O grego já criou mais de 30 blogs e tem aproximadamente 140 mil inscritos no YouTube. Geralmente Tsitsipas faz cerca de três vídeos por mês e todos costumam bater altos números de visualizações.

O legal é que, além de retratar as experiências como um jogador de tênis profissional, Tsitsipas adora mostrar novos lugares nos países em que visita, como praias, ilhas isoladas e outras belezas naturais.

Novak Djokovic: meditação
A meditação faz parte da vida de Djokovic. Além de ser um momento de relaxamento, o sérvio usa os benefícios dessa prática na sua carreira como tenista e não é de hoje que o atual número 1 do mundo é adepto dessa técnica milenar.

“Eu pratico [meditação e yoga] por uma necessidade de ter um ótimo estado mental, paz e calma e, ao mesmo tempo, felicidade e alegria. Todo mundo tem seus meios de alcançar esse estado de consciência onde você está de bom humor e sente amor por si mesmo, pelas pessoas ao seu redor, pelo planeta. Então eu tento me alinhar com esse tipo de abordagem e mentalidade na vida”, afirmou o sérvio.

Em 2015, Djokovic disse em entrevista que gostava de relaxar entre as partidas de Wimbledon conectando-se com a natureza e meditando. Para o sérvio, é um jeito de clarear a mente e se preparar para os próximos desafios do torneio.

Djokovic faz questão de mostrar o seu estilo de vida saudável nas redes sociais e muitas vezes aparece acompanhado da sua esposa Jelena, que também participa das atividades de meditação.

Hobbies curiosos
Cada jogador tem um hobby e muitos deles são bem específicos, portanto, é impossível citar todos com detalhes. Porém, há alguns outros atletas que se destacam quando o assunto são as atividades no tempo livre e também merecem ser mencionados.

Mikhail Youzhny, por exemplo, ganhou aproximadamente US$ 18 milhões na carreira como jogador de tênis e não precisaria trabalhar em outro setor. Apesar disso, o russo também conta com uma preparação altamente qualificada em filosofia.

Em 2005, quando já era um profissional consolidado no circuito, Youzhny entrou na Universidade de Moscou para se formar em filosofia. Cinco anos mais tarde, ele se formou e conseguiu seu PhD.

Já John Isner, apesar de ter o tamanho de um jogador de basquete, adora luta. O americano ganhou gosto pelo esporte enquanto ainda era jovem no Estado da Carolina do Norte e tem uma paixão enorme por essa modalidade.

Isner gosta tanto de lutas que chegou a escrever sobre o assunto no site The Players Tribune.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis