Notícias | Dia a dia
Federer: 'Seria uma pena parar sem atingir 100'
07/03/2019 às 10h55

Federer é apenas o segundo a alcançar 100 títulos na ATP

Foto: ATP

Indian Wells (EUA) - Cinco vezes campeão do Masters 1000 de Indian Wells, o suíço chega ao torneio californiano com um peso a menos nas costas depois de ter vencido seu 100º título na semana passada, no ATP 500 de Dubai, o que lhe garantiu também o retorno ao top 5, aparecendo agora na quarta colocação. Desde o 99º, no fim do ano passado, ele disputou quatro torneios e em sua primeira final já alcançou a marca centenária.

“O que eu gosto sobre o 100º título é que ele dá algum tempo para refletir sobre esses grandes momentos e grandes títulos que foram importantes para mim”, comentou o dono de 20 Grand Slam. “É uma conquista que eu nunca pensei que alcançaria e só comecei a imaginá-la nos últimos nove meses. Quando você chega ao 98º, 99º, começa a pensar que seria uma pena se aposentar sem atingir 100. Foi bom chegar a ela logo na primeira tentativa em uma final”, complementou.

Federer reconheceu a importância de seu feito, mas destacou que apesar de todas as conquistas ele não está acima de ninguém. “As pessoas sempre colocam os grandes atletas em uma condição de super-humanos, mas somos apenas pessoas normais. Um ser perfeito não existe, todo mundo tem seus defeitos e eu sou um deles. Mas se eu puder tornar o jogo mais popular, ser bom para os fãs ou fazer com que eles gostem mais do esporte através de mim, então isso é ótimo”.

Para alcançar tais feitos, o tenista da Basileia destacou a importância de conhecer bem a si mesmo e adotar rotinas saudáveis para seguir desempenhando em alto nível. “O mais importante para qualquer atleta é entender seu próprio corpo. Saber diferenciar os tipos de dores, poder jogar com elas muitas vezes, mas também saber quando tirar o pé e dar um tempo”, observou o ex-número 1 do mundo.

“Dormir o suficiente, comer a comida certa, recuperar-se e ter uma programação, tudo isso ajuda. Você precisa ter pessoas inteligentes ao seu redor. Há também a parte genética e então você ainda precisa de sorte”, finalizou o suíço, que entra direto na segunda rodada de Indian Wells e espera pelo vencedor da partida entre o alemão Peter Gojowczyk e o italiano Andreas Seppi.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis