Notícias | Dia a dia
Rune salva 4 match-points e defende seu título
23/04/2023 às 11h46

O dinamarquês de 19 anos buscou uma grande virada no terceiro set da final

Foto: BMW Open

Munique (Alemanha) - Uma temporada depois de ter conquistado seu primeiro título de ATP, Holger Rune repetiu a conquista no 250 de Munique, no saibro alemão. E novamente o adversário foi o holandês Botic Van De Zandschulp. Mas se no ano passado, a final teve apenas sete games e desistência do holandês por razões médicas, o duelo deste ano foi muito mais disputado. Rune salvou quatro match-points e venceu um duelo de 2h52 por 6/4, 1/6 e 7/6 (7-3).

Rune chega ao quarto título de ATP aos 19 anos, além de já ter disputado outras três finais. O dinamarquês já está com o melhor ranking da carreira, ocupando agora o sétimo lugar. Já Van de Zandschulp, de 27 anos, ainda segue em busca de seu primeiro título no circuito. O atual 29º do ranking disputou sua segunda final na carreira. O prêmio para o campeão é de 85.605 euros, com 49.940 para o vice.

"Eu estava me sentindo muito exausto, mas lutei até o final e tentei de tudo para virar partida", comemorou Rune após a partida. "Era a última partida do torneio, então você tenta encontrar uma maneira de vencer. Acho que, para a torcida, foi a final perfeita. Nós realmente nos esforçamos ao máximo e estou super feliz por ter defendido o título hoje".

Apesar de Rune ter conseguido uma quebra logo no game de abertura e saiu vencendo por 2/0, mas não demorou para que Van De Zandschulp buscasse o empate por 2/2. Ainda assim, Rune retomou o controle da partida no primeiro set. Mais agressivo em quadra, o dinamarquês voltou a quebrar para fazer 5/3 e ainda teve um set-point no serviço do holandês, antes de fechar o jogo em seu saque.

O segundo set foi impecável para Van De Zandschulp, que não enfrentou break-points e cedeu apenas dois pontos em seus games de serviço. Ele conseguiu duas quebras e empatou a partida. O holandês aproveitou o bom momento em quadra e saiu na frente no terceiro set. Com duas novas quebras, abriu 5/2 no placar. Ele teve dois match-points, mas não aproveitou a chance de sacar para o jogo.

Rune ainda torceu o tornozelo no fim do jogo
A partida ficou ainda mais dramática depois que Rune torceu o tornozelo esquerdo no meio do game do 5/4. E ele ainda recebeu a notícia do supervisor do torneio de que não poderia refazer a "botinha" de esparadrapo até a virada de lado.

Mesmo insatisfeito, o dinamarquês voltou para a quadra e conseguiu empatar. Houve ainda mais uma troca de quebras nos dois últimos games antes do tiebreak. E Rune, mesmo com algumas limitações, estava mais forte mentalmente e seguiu jogando de forma mais agressiva para vencer o jogo.

Comentários