Notícias | Dia a dia
Chileno é banido por manipulação de resultados
15/03/2019 às 14h59

Mauricio Alvarez-Guzman foi considerado culpado por dois crimes

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - O chileno Mauricio Alvarez-Guzman foi banido do tênis profissional após ter sido considerado culpado das acusações de manipulação de resultados e crimes relacionados à corrupção, que violam o Programa de Combate à Corrupção no Tênis (TACP).

Aos 31 anos de idade, o tenista foi pego tentando arranjar o resultado de um jogo no challenger de Meerbusch, na Alemanha, em agosto de 2016, oferecendo um jogador mil euros para que este entregasse um set.

Além disso, ele também foi culpado de manipular o sorteio de um future em Antalya, na Turquia, em julho de 2016, comprando um convite na chave de simples. A intenção de comprar um wild-card para a competição de duplas do mesmo torneio não se concretizou, mas ainda permanece como um delito de corrupção.

O processo disciplinar contra Alvarez-Guzman foi julgado no dia 11 de março de 2019 pelo Auditor Independente de Corrupção, Charles Hollander, que o declarou culpado de todas as acusações, impondo uma pena vitalícia com efeito a partir de 14 de março de 2019,

Alvarez-Guzman fica assim permanentemente excluído de competir ou participar de qualquer torneio ou evento organizado ou sancionado pelos órgãos governamentais do esporte. O chileno alcançou a 1050ª colocação em simples na ATP e chegou a ser o 672º nas duplas.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis