Notícias | Dia a dia
Federer não descarta a hipótese de ser treinador
28/03/2019 às 18h03

Embora não feche as portas, o suíço considera improvável a hipótese de se tornar treinador

Foto: Divulgação

Miami (EUA) - Ainda em alto nível no circuito aos 37 anos, Roger Federer mantém o foco na busca por novas conquistas em sua carreira como jogador profissional. No entanto, o suíço também avalia opções para o futuro e não descarta a hipótese de atuar como treinador.

"Quem sabe? Eu adoraria continuar envolvido no esporte, mas provavelmente sem ficar viajando durante 30 semanas. Sejamos honestos", disse Federer, durante a entrevista coletiva após a vitória por 6/4 e 6/2 sobre o russo Daniil Medvedev pelas oitavas de final do Masters 1000 de Miami.

Federer recorda e experiência que teve treinando ao lado do também ex-número 1 do mundo Stefan Edberg, entre 2014 e 2015. A parceria rendeu onze títulos de ATP ao suíço, incluindo três Masters 1000. "Acho que Edberg também não pensava que ele fosse treinar alguém novamente. E eu não tenho que fazer isso imediatamente. Então, eu posso talvez me tornar um mentor ou ter alguns jogadores".

"É possível, mas improvável", ressalta o atual número 5 do ranking mundial. "Tenho quatro filhos e ficarei feliz por estar em casa depois de viajar por mais de 20 anos. Eu simplesmente não me vejo fazendo isso por 20 semanas do ano".

Garantido nas quartas de final de Miami, Federer jogará na noite desta quinta-feira contra o sul-africano Kevin Anderson. Se vencer, o suíço disputa a semifinal já na sexta contra o vencedor da partida entre o norte-americano Frances Tiafoe e o canadense Denis Shapovalov.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis