Notícias | Dia a dia
Aliassime diz que nervosismo o atrapalhou na semi
29/03/2019 às 22h32

Aliassime chegou a sacar para fechar nos dois sets da semifinal contra Isner

Foto: Divulgação

Miami (EUA) - Depois de ter disputado sua primeira semifinal de Masters 1000 na carreira, Felix Auger-Aliassime reconhece que o nervosismo comprometeu seu desempenho nos momentos decisivos do equilibrado contra John Isner. O jovem canadense de 18 anos chegou a sacar para fechar os dois sets contra o rival de 33 anos, número 9 do mundo e atual campeão do torneio, mas não aproveitou as chances e perdeu a partida em dois tiebreaks.

"É uma chance que você não pode perder. Saquei para fechar os dois sets e apenas não sei o que aconteceu. É simplesmente terrível", disse Aliassime após a derrota por 7/6 (7-3) e 7/6 (7-4) para Isner após 1h53 de partida na tarde desta sexta-feira.

"Com certeza, foi nervosismo. É como se eu tivesse pegado um vírus ou algo assim. Eu não sei. Eu não conseguia colocar um primeiro saque na quadra. Mesmo no segundo saque, eu também não estava bem. Isso é muito difícil de engolir", acrescenta o canadense que fez três duplas-faltas no game em que sacou para fechar o primeiro set, e mais uma quando tentava definir a segundo parcial.

"Não acho que eu tenha perdido o foco ou a concentração. Eu apenas senti como se os nervos tivessem me afetado um pouco. Eu não fui capaz de apenas me concentrar no que eu tinha que fazer, como havia feito todas as outras partidas, e e isso realmente me incomodou muito", avalia o jovem jogador.

Apesar da derrota, Aliassime ainda destacou alguns aspectos positivos de sua atuação contra Isner. "Senti que estava encaixando algumas boas devoluções. Eu ainda quebrei o saque dele duas vezes, o que não é fácil. Senti que as minhas devoluções estavam boas hoje, mas obviamente ele coloca muita pressão no seu saque. E mesmo em segundo saque ele bate muito forte na bola. Então eu tenho que descobrir uma maneira de melhorar e tentar lidar com isso da próxima vez que jogar contra ele".

Aliassime venceu sete jogos seguidos na campanha desde o quali até a semifinal em Miami. O jovem canadense, que começou o torneio como 57º do ranking e assumirá o 33º lugar a partir de segunda-feira, também destacou sua evolução como jogador. "A maior lição foi acreditar em mim. Você sempre pode cavar fundo e encontrar recursos dentro de si mesmo. Então eu acho que uma lição enorme é não desistir, ficar calmo e trabalhar todos os dias".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis