Notícias | Dia a dia
'Parada me faz amar mais o tênis', garante Barty
31/03/2019 às 10h13

Barty tem um estilo diferenciado no circuito feminino e diz que pode vencer qualquer uma num grande dia

Foto: WTA

Miami (EUA) - Há cinco anos, ainda uma adolescente de grande futuro, Ashleigh Barty não suportou a pressão do circuito e decidiu deixar o circuito internacional para ir jogar críquete, um dos mais populares esportes na Austrália. Mas não aguentou muito tempo. Voltou em 2015, recomeçou a partir do zero e nesta segunda-feira irá aparecer pela primeira vez no top 10 do ranking, resultado do título conquistado em Miami no sábado.

"Tenho a sensação que se passou muito tempo desde a minha parada em 2015, mas isso me faz amar ainda mais o tênis, mesmo estando distante da quadra", garante ela. "Agora sinto que sou uma pessoa diferente, uma tenista mais completa, capaz de suportar a pressão. Não posso me queixar de nada".

Depois de três títulos de menor expressão, conquistar Miami em cima de adversárias experientes foi muito especial. "Foram dois ou três anos preciosos desde que voltei ao circuito e acho que agarrei todas as oportunidades com as duas mãos. Tive claro algumas derrotas duras, mas também momentos surpreendentes. A derrota de Sydney em janeiro doeu muito, mas hoje saio com um título muito grande. Assim é o tênis".

Seu estilo chama a atenção, capaz de misturar força e jeito, com muitos toques e subidas à rede. "O saque é parte importante do meu jogo, gosto de controlar cada ponto desde o início. Tive sorte de ter Jim Joyce a meu lado, que me ensinou tudo que sei, cada golpe. Ele chama isso de ‘estilo Ash Barty’, que é um tanto peculiar".

Ela acredita que o circuito feminino está totalmente aberto: "Cada uma tem que ir à quadra e fazer o melhor, as margens estão muito apertadas entre todas. Foram duas semanas incríveis em Miami, em que consegui crescer a cada partida e criar oportunidades. Quando estou jogando meu melhor, acredito que seja capaz de ganhar das melhores do mundo. Há dias que tudo dá certo, outros não. É bonito esse desafio que temos."

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis