Notícias | Dia a dia
Lesão de Isner era mais grave do que aparentava
03/04/2019 às 11h18

Miami (EUA) - A lesão no pé esquerdo sofrida durante a final do Masters 1000 de Miami foi mais grave do que John Isner imaginava. Apesar da dor, o norte-americano seguiu até o fim no duelo com o suíço Roger Federer, perdendo com parciais de 6/1 e 6/4. Contudo, ao fazer os exames para constatar o grau da lesão, ele viu que a situação era pior do que aparentava.

Isner passou por testes para determinar o que exatamente foi a lesão e os médicos confirmaram que ele sofreu uma fratura por estresse no pé, o que o obrigará a ficar de quatro a seis semanas fora das quadras. Isso o impedirá de competir em boa parte da temporada de saibro.

"Nos primeiros cinco games da partida eu estava bem, mas depois comecei a sentir uma dor muito intensa na parte superior do meu pé e senti como se tivesse quebrado", disse o norte-americano em entrevista coletiva logo após a derrota.

A fratura por estresse sofrida pelo norte-americano nada mais é do que uma pequena ruptura ou rachadura no osso devido à força ou carga excessiva por repetição. Na pior das hipóteses, Isner só poderia competir na semana anterior a Roland Garros. Nas próximas semanas ele defende quartas de final em Houston e em Madrid e segunda rodada em Roma.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis