Notícias | Dia a dia
'Às vezes é melhor não pegar os tops', brinca Federer
05/04/2019 às 14h37

Basileia (Suíça) - Dono de 20 títulos de Grand Slam e 101 no total, o suíço Roger Federer sabe que só conseguiu alcançar esses feitos por causa dos fortes adversários que teve na carreira, os mais duros e recorrentes o espanhol Rafael Nadal, o sérvio Novak Djokovic e o britânico Andy Murray. Entretanto, o tenista da Basileia reconhece que às vezes deseja que eles não estivessem lá para facilitar o seu caminho às vitórias.

“Djokovic é um grande esportista e aproveito a rivalidade que tenho com esses caras do topo como ele, Murray, Nadal e qualquer outro que estiver lá em cima. Isso te faz ser um jogador melhor. É positivo ter rivais para te testar, mas é claro que às vezes desejamos que eles não estejam lá, porque assim a caminhada para a vitória seria mais fácil”, brincou o atual número 4 do mundo.

“Ao mesmo tempo, é sempre demais enfrentar caras capacitados assim”, complementou Federer, que apesar de destacar a importância de grandes rivais para superar em sua carreira, acredita que o fundamental para qualquer jogador é focar nas próprias atitudes, única coisa que tem 100% de controle. “Você precisa se concentrar em si mesmo e no seu jogo”, analisou.

O suíço tem retrospecto negativo contra dois dos três jogadores citados. Contra Nadal ele soma 23 derrotas e 15 vitórias, nos duelos com Djokovic são 22 derrotas e 25 derrotas. Apenas frente a Murray ele tem vantagem, conquistando 14 triunfos e 11 derrotas.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis