Notícias | Dia a dia
Ex-treinador cobra 20% dos ganhos de Osaka
11/04/2019 às 11h57

Osaka e o pai não se pronunciaram sobre o assunto

Foto: Arquivo

Fort Lauderdale (EUA) - Atual número 1 do mundo, a japonesa Naomi Osaka começou por baixo e superou a falta de dinheiro para pagar seus primeiros treinadores para conquistar já dois títulos de Grand Slam com apenas 21 anos. Contudo, o preço da fama e do dinheiro bateram a sua porta na figura do ex-técnico Christophe Jean, que entrou na justiça para cobrar 20% do que já faturou a jovem tenista nipônica.

Segundo reportagem do Sun Sentinel, o ex-treinador ficou mais do que decepcionado com o fato de seus dois anos de treinamento com Naomi e a irmã mais velha Mari Osaka não lhe renderam um centavo sequer. Ele entrou com uma ação em fevereiro devido a um contrato assinado por François, pai das tenistas em 2011, concedendo ao técnico 20% dos ganhos futuros incertos das filhas.

"Eu não queria fazer isso, mas a última vez que conversei com Max (como chamam o pai das Osaka) ele me disse para procurar um advogado", disse Jean. "Então eu tenho um advogado agora", acrescentou o técnico.

Jean lembra que o pai das tenistas o procurou em 2011 pedindo ajuda para treiná-las concordando em pagar uma taxa de US$ 300 por mês. “Depois de um mês, ele disse que não poderia fazer isso, argumentou que esposa é a única que trabalhava na casa e não podia ir até ela e pedir a ela que pagasse US$ 300”, contou o treinador, que receberia ajuda de François como pegador de bolas.

Em março de 2012, Jean e François assinaram um contrato de uma página, que agora é o ‘Anexo A’ no processo que Jean fez contra François e as irmãs. "Ambas as partes concordam com uma taxa fixa de 20% ou acordo monetário em nome de Marie (sic) Osaka e Naomi Osaka", diz uma cláusula central.

A agente de relações públicas de Osaka da IMG Tennis, Mary Jane Orman, recusou-se a disponibilizar o pai ou a filha para uma entrevista à reportagem do Sun Sentinel a menos que nenhuma menção na matéria.

O advogado de Osaka, Alex Spiro, escreveu um comunicado: "Embora não seja nenhuma surpresa que a ascensão meteórica de Naomi como ícone e inspiração internacional levaria a uma alegação falsa, esse contrato imaginário que Naomi nunca viu ou assinou - o que significa dar parte de si mesma aos 14 anos de idade - é particularmente absurdo ”.

Dois anos se passaram sem que Jean recebesse dinheiro algum do pai das Osaka que pegou suas filhas e, sem dar explicação, as trocou de técnico, levando as duas para Patrick Tauma, que também conta que treinou as garotas sem cobrar nada por um ano. Ele disse depois se sentir "manipulado" pelo pai. As trocas não pararam por aí e foram se sucedendo diversas vezes até Naomi despontar como profissional.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis