Notícias | Dia a dia
Bia minimiza diferença de ranking para time eslovaco
19/04/2019 às 16h37

Bia terá a chance de desafiar a ex-top 5 Dominika Cibulkova no domingo

Foto: René Miki/STZ

Bratislava (Eslováquia) - Principal nome na equipe brasileira que enfrentará a Eslováquia pelos playoffs do Grupo Mundial II da Fed Cup neste fim-de semana, Beatriz Haddad Maia minimizou a diferença de ranking entre as jogadoras dos times. Para a número 1 do Brasil, outros fatores acabam sendo tão ou mais determinantes na disputa por equipes.

Carol desafia Cibulkova às 8h, Bia joga na sequência

"Fed Cup é mais sobre a energia, mais sobre como o time se sente junto, estando unido. Na verdade, o ranking não importa muito", disse Bia Haddad Maia, durante o sorteio que determinou a ordem das partidas de sábado. "Se fosse pelo ranking, nem precisaria haver competição. Quem está aqui merece estar aqui. Estou muito confiante sobre o nosso time e acredito que poderemos mostrar o nosso melhor tênis em quadra".

O duelo começará às 8h (de Brasília) com o jogo entre Carolina Meligeni Alves, 354ª do ranking, contra a ex-top 5 e atual 33ª colocada Dominika Cibulkova. Bia, que é número 124 do mundo, atua na sequência contra a 45ª colocada Viktoria Kuzmova. A rodada de domingo pode contar com até três jogos e começa novamente às 8h, com a partida entre Bia e Cibulkova.

Até mesmo Cibulkova reforça essa ideia, apesar de reconhecer o favoritismo da equipe da casa. "Nós nos sentimos favoritas porque os rankings dizem isso, embora na Fed Cup o ranking não seja o mais importante. Já joguei muitos confrontos, tanto em casa como no exterior e adoro jogar Fed Cup. Sempre tive grandes jogos e espero poder vencer duas partidas, isso é tudo que posso fazer neste fim de semana. Espero que isso aconteça e que seja o suficiente".

As partidas serão realizadas na AXA Arena NTC, um complexo de tênis localizado em Bratislava, capital da Eslováquia, que é o centro de referência da modalidade no país. Por escolha da equipe mandante, os duelos serão realizados em quadra de saibro coberta. A escolha agradou a equipe brasileira, que treinou desde segunda-feira no local para se ambientar ao piso.

A equipe brasileira se classificou para disputar o playoff depois de vencer o Zonal Americano I da Fed Cup, seletiva continental disputada em fevereiro na Colômbia. A capitã Roberta Burzagli repetiu o time, com Beatriz Haddad Maia, Luisa Stefani, Carolina Meligeni Alves, Gabriela Cé e Thaísa Pedretti. Caso vença a Eslováquia, o Brasil jogará o Grupo Mundial II da Fed Cup em 2020, com possibilidade de acesso para a elite da competição.

"No Brasil, estamos mais acostumadas a jogar no saibro. Na Fed da Colômbia, também jogamos no saibro. A diferença é que lá havia altitude", afirmou Burzagli. "Mas tivemos uma boa semana de treinamentos, estão todas as atletas se sentindo bem e acreditamos no nosso potencial. Também acreditamos muito em outro fator, que é a união que nosso time vem demonstrando desde a fase anterior da Fed Cup e que, numa competição como esta, pode fazer a diferença a nosso favor".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis