Notícias | Dia a dia
Fognini e Lajovic alcançam seus melhores rankings
22/04/2019 às 08h19

Miami (EUA) - Finalistas do Masters 1000 de Monte Carlo, o campeão Fabio Fognini e o vice Dusan Lajovic alcançaram nesta segunda-feira suas melhores marcas no ranking da ATP. Por já estar mais bem colocado o italiano subiu menos e, apesar do triunfo, ganhou seis posições e agora é o 12º melhor do mundo.

Lajovic teve uma ascensão bem maior: disparou 24 colocações e entrou no top 30 pela primeira vez, subindo para o 24º lugar. Contudo, o sérvio de 28 anos não foi o jogador que mais subiu entre os top 100, feito que coube ao italiano Lorenzo Sonego, que saiu do quali no saibro monegasco e foi até as quartas, parando justamente no vice-campeão. Ele disparou 30 postos e agora é o 66º, também sua melhor marca.

 
 
 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Après 9 jours de compétition, le tournoi @rolexmontecarlomasters s’achève. @fabiofogna reporte son premier Masters 1000 et succède à Nikola Pietrangeli, dernier italien à avoir remporté le titre il y a 51 ans ! Clap de fin 🎬 🎾👋🏻 Rendez vous en 2020 ! #rolexmcmasters #mccc #atptour #atptourmasters1000 #tennis #monaco #montecarlo

Uma publicação compartilhada por Rolex Monte-Carlo Masters (@rolexmontecarlomasters) em

Dois nomes conhecidos que amargaram quedas nessa semana foram Kei Nishikori e Grigor Dimitrov. Vice em Mônaco no ano passado, o japonês não passou da estreia em 2019, mas mesmo assim acabou perdendo apenas um lugar, indo para o sétimo posto. Já o búlgaro, que defendia semifinal e desta vez parou nas oitavas, desceu 15 lugares e foi para a 43ª posição.

Também sofreu queda o tcheco Tomas Berdych, que com as três colocações perdidas nesta segunda-feira acabou saindo do top 100 pela primeira vez depois de 15 anos.

Djokovic amplia sua liderança absoluta

O sérvio Novak Djokovic não foi muito longe em Monte Carlo, parou nas quartas de final, mas mesmo assim ampliou ainda mais sua vantagem para Rafael Nadal. Isso porque o espanhol defendia o título e desta vez caiu na semifinal. A diferença que estava nos 2.345 pontos subiu um pouco mais e agora ultrapassa a casa dos 3 mil pontos, ficando em 3.075.

A queda de Nishikori de sexto para sétimo, sendo ultrapassado pelo sul-africano Kevin Anderson, foi a única mudança em todo o top 10. Completam essa faixa de ranking o alemão Alexander Zverev (3º), o suíço Roger Federer (4º), o austríaco Dominic Thiem (5º), o grego Stefanos Tsitsipas (8º), o argentino Juan Martin del Potro (9º) e o norte-americano John Isner (10º).

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis