Notícias | Dia a dia
Wimbledon aguarda Murray para definir convites
01/05/2019 às 18h27

Definição pode acontecer apenas no dia que a chave for sorteada

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - O desejo de Andy Murray encerrar sua carreira profissional em Wimbledon fará a organização do Grand Slam britânico esperar uma decisão do ex-número 1 do mundo para definir quais serão os jogadores convidados para a chave principal. O terceiro Grand Slam da temporada começa no dia 1º de julho.

Murray aparece atualmente no 218º lugar do ranking mundial aos 31 anos e está sem jogar desde o Australian Open. O britânico passou por uma segunda cirurgia no quadril no dia 28 de janeiro, cerca de um ano depois da primeira operação. Entretanto, ele chegou a ficar onze meses parado - entre julho de 2017 e junho de 2018- já que tentou tratamentos menos invasivos no início.

Por conta de seus longos afastamentos, Murray tem direito a solicitar o recurso do ranking protegido de número 2 do mundo para entrar diretamente na chave de Wimbledon sem precisar de convite e nem jogar o quali. Para isso, ele teria que dar entrada no pedido até o dia 20 de maio. Ele já utilizou o recurso algumas vezes, desde o ano passado, e ainda pode solicitá-lo por mais cinco torneios se quiser continuar jogando.

Os organizadores de Wimbledon se reunirão no dia 18 de junho para um debate inicial a respeito dos convites. Historicamente, a decisão acaba sendo tomada em poucos dias, mas a situação fica um pouco diferente por conta de Murray. Um eventual convite pode ser concedido ao britânico até o dia 28 de junho, dia em que a chave principal de simples será sorteada.

"Ainda não houve conversa com ele, é cedo demais para saber uma resposta para isso", disse Philip Brook, presidente do All England Club ao jornal The Times. "Se ele quiser solicitar um convite, ele o fará da maneira normal. Temos um processo que se aplica a todos os jogadores. Faremos uma reunião em 18 de junho, antes dos campeonatos, para decidir quais jogadores receberão convites".

O diretor executivo do All England Club, Richard Lewis, também se manifestou. "Nesta fase, tudo depende inteiramente do Andy. Está nas mãos dele decidir o que fazer".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis