Notícias | Dia a dia
Djokovic deixa porta aberta para volta de Gimelstob
06/05/2019 às 18h00

Sérvio acredita que o dirigente pode voltar ao circuito no futuro

Foto: Divulgação

Madri (Espanha) - Líder do ranking mundial e presidente do Conselho de Jogadores da ATP, Novak Djokovic foi mais um nome de peso a comentar sobre a principal polêmica do circuito masculino, o desligamento de Justin Gimelstob do Conselho Diretivo da entidade.

Djokovic estreia às 8h30 de terça e Federer às 15h

Diferente do que fizeram Andy Murray e Stan Wawrinka, que repudiam com veemência a presença de Gimelstob no circuito, o sérvio deixa as portas abertas para um futuro retorno do dirigente, que é um dos mais cotados para substituir Chris Kermode na presidência da ATP a partir do ano que vem. Gimelstob responde desde o ano passado por graves acusações de agressão física e homofobia, mas só deixou o cargo na semana passada.

"Sei que é um tema quente nos últimos tempos", disse Djokovic nesta segunda-feira em Madri. "Foi a decisão certa, dadas as circunstâncias, já que era algo que estava colocando muita pressão no circuito e nos jogadores em particular. Ele tem sido um dos maiores apoiadores dos jogadores nos últimos dez anos, mas precisa lidar com o que aconteceu e voltar quando estiver mentalmente pronto".

Campeão do Australian Open em janeiro, Djokovic sofreu eliminações precoces em Indian Wells, Miami e Monte Carlo. O sérvio disputa nesta semana o Masters 1000 de Madri e tenta recuperar o caminho das vitórias. Ele estreia nesta terça-feira contra o norte-americano Taylor Fritz.

"É um prazer estar de volta aqui, onde tive sucesso no passado. Estou feliz por estar saudável, porque no ano passado não foi o caso, quando eu ainda estava voltando depois de operar o cotovelo", comenta o jogador de 31 anos, que perdeu ainda na segunda rodada em 2018.

Bicampeão do torneio em 2011 e 2016, Djokovic sabe que as condições de jogo em Madri são um pouco mais rápidas que as dos demais torneios no saibro. "As condições aqui são totalmente diferentes das de qualquer outro torneio terrestre. A altitude afeta o jogo. A bola voa muito rápido e não é fácil controlá-la".

"Mas, como eu disse, vou tentar reviver os bons tempos dos anos em que ganhei o torneio. Talvez eu não tenha jogado no meu melhor nível nos últimos dois meses. Mas pouco a pouco estamos voltando e espero que meu melhor tênis seja mostrado aqui".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis