Notícias | Dia a dia
Federer justifica opção por saque e voleio no saibro
09/05/2019 às 20h06

Federer recorreu ao saque e voleio para salvar um dos match points que enfrentou contra Monfils

Foto: Divulgação

Madri (Espanha) - A maneira como Roger Federer salvou um dos dois match points que enfrentou na vitória desta quinta-feira sobre Gael Monfils chamou a atenção do público que acompanhou a rodada das oitavas de final do Masters 1000 de Madri. Federer surpreendeu o francês com uma tentativa de saque e voleio, estratégia pouco usual no saibro, e teve sucesso.

Para o suíço, o fato de as quadras de Madri serem mais rápidas que as dos demais torneios no saibro, além das condições climáticas que deixaram a quadra menos pesada, contribuíram para que a tentativa fosse bem executada. "Acho que saque e voleio podem funcionar muito bem no saibro", disse Federer após a vitória por 6/0, 4/6 e 7/6 (7-3) contra Monfils.

"Acho que é uma opção para ser usada em um dia quente e ensolarado em Paris também", comenta o suíço, apesar das diferenças entre as condições das capitais francesa e espanhola. "Eu sempre achei que o saque e voleio em um dia quente no saibro quase é mais eficiente que em uma quadra de grama, às vezes, porque a bola quica um pouco mais alto que e é mais difícil para o devolvedor jogá-la novamente nos seus pés".

Apesar do domínio no primeiro set, Federer conta que sempre espera por jogos difíceis contra Monfils. "Não tenho certeza se já perdi um jogo depois de vencer o primeiro set por 6/0, mas com Gael você nunca sabe o que pode acontecer. Eu sabia que seria um jogo difícil mesmo que vencesse o primeiro set".

"Acho que é a beleza do sistema de pontuação que, se você ganha o primeiro set, tudo volta ao zero no segundo. Gael começou a ficar muito intenso e me pressionou no terceiro set. Precisei de boas jogadas em momentos importantes e joguei um grande tiebreak. Agora me sinto muito aliviado", acrescenta o número 3 do mundo, que marcou a décima vitória em 14 jogos contra o francês.

Embora tenha ficado três anos sem jogar no saibro e quatro sem atuar em Madri, Federer não se considera um azarão no piso. Ele, tampouco, acredita que outros jogadores o vejam dessa maneira. Garantido nas quartas de final, o suíço agora enfrenta Dominic Thiem, número 5 do mundo, a partir do meio-dia (de Brasília) desta quinta-feira. Thiem é forte candidato aos principais títulos no saibro e lidera o histórico contra Federer por 3 a 2.

"Eu não acho que alguém esteja realmente me subestimando, porque eu não estou voltando de lesão. Tive um bom começo de temporada este ano. As condições são bem rápidas aqui em Madri e já venci o torneio outras vezes. Então, acho que os jogadores sabem que embora eu não tenha jogado no saibro nos últimos anos, isso não me faz menos perigoso".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis