Notícias | Dia a dia
Para Osaka, pensamentos negativos custaram caro
09/05/2019 às 20h58

Japonesa reconhece que não conseguiu manter o foco na partida e pensou demais em seus erros e no ranking

Foto: Divulgação

Madri (Espanha) - Eliminada nas quartas de final do WTA Premier de Madri, Naomi Osaka acredita que os pensamentos negativos custaram caro na derrota para a suíça Belinda Bencic nesta quarta-feira. A número 1 do mundo reconhece que passou parte do jogo pensando nos erros que cometia e nas consequências que uma derrota poderia implicar em seu ranking e que isso comprometeu seu desempenho nos momentos decisivos.

"Sinto que fui muito negativa neste jogo, mas eu meio que tentei consertar isso no terceiro set", disse Osaka após a derrota por 3/6, 6/2 e 7/5 para Bencic nesta quinta-feira. "Hoje foi diferente do normal, porque quando cometia um erro, tudo em que eu conseguia pensar era o quão importante era aquele ponto e como eu pude cometer aquele erro. Normalmente, eu apenas passo para o próximo ponto e tento aprender com o que eu fiz de errado".

"No primeiro set eu estava realmente focada e positiva, mas no segundo eu já estava pensando em todos os erros que cometia. No terceiro set, eu tentei replicar o que estava fazendo no primeiro e estava funcionando, mas então comecei a me concentrar nos meus erros novamente", comenta a japonesa, que terminou o jogo com 48 winners e 31 erros não-forçados.

Osaka acredita que a derrota sofrida para a mesma Bencic em Indian Wells também a deixou pressionada."Hoje foi um drama. Muito drama na minha cabeça. Eu não sei o que estava acontecendo. Normalmente, sou capaz de seguir em frente e me concentrar no próximo ponto".

"Acho que estava pensando em muitas coisas. Gostaria muito de vencer essa partida. É claro que eu queria vencer o Australian Open e o US Open, mas eu queria vencer mais essa partida porque ela já me venceu antes e eu não queria perder duas vezes seguidas", explica a jovem jogadora de 21 anos.

Outro fator que comprometeu o foco da japonesa foi a disputa pela liderança do ranking. Ela assegurar a permanência na primeira posição por mais uma semana se vencesse o jogo desta quinta-feira. Com a derrota, ela pode ser ultrapassada por Simona Halep se a romena conquistar o título.

"As pessoas me disseram que se eu chegasse na semifinal aqui, eu ficaria em primeiro lugar. Então, eu queria fazer isso e estava pensando nisso enquanto estava jogando, o que não era necessariamente um bom momento", comenta a japonesa. "Normalmente eu falo que não me importo com o ranking, mas eu fiquei pensando nisso durante um tempo. Eu adoraria jogar Roland Garros como a número 1 do mundo, porque nunca joguei um Grand Slam como número 1. Eu jogo melhor quando estou calma, mas eu não estava calma hoje. Essa é a maior coisa que eu preciso aprender".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis