Notícias | Dia a dia
Judy Murray vê falta de superestrelas na WTA
22/05/2019 às 14h08

Para a mãe de Andy Murray, ainda não há jogadoras no patamar que alcançaram Serena, Venus e Sharapova

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - Com cada vez menos aparições das norte-americanas Serena e Venus Williams e da russa Maria Sharapova, o circuito feminino segue em busca das novas superestrelas que irão liderar a WTA nos próximos anos. Para a britânica Judy Murray, nenhuma das demais jogadoras conseguiu ainda atingir o patamar de grandeza destes três nomes

“Serena, Venus e Sharapova têm sido as tenistas de maior repercussão em muito tempo. Sua saída do tênis deixará uma grande brecha, pois as três fizeram um trabalho incrível em elevar o status de nosso esporte a outro nível”, declarou a mãe do ex-número 1 do mundo Andy Murray em entrevista ao site Tenis365.

“Elas permitiram que as partidas femininas competissem em popularidade com a dos homens mesmo em uma época maravilhosa com Roger Federer, Rafael Nadal, Novak Djokovic e Andy Murray. As três gerenciaram carreira e fama de maneiras diferentes, se envolveram com moda, apareceram em filmes e se colocaram entre os nomes mais conhecidos do mundo todo”, acrescentou.

Judy destacou a importância da variedade de campeãs neste começo de 2019, mas indagou o quanto isso é benéfico para atrair mais espectadores para o tênis feminino. “O que temos agora é uma variedade de vencedoras, foram 18 diferentes nos 18 primeiros torneios deste ano, e isso é algo notável. Mas será que é algo bom para o esporte?”, questionou a britânica.

“Algumas pessoas ainda preferem ver Serena em uma final porque ela é uma superestrela e não se atraem tanto com outros nomes. Essa nova geração precisa de tempo para conseguir seu espaço, pois é necessário para o tênis feminino encontrar novas caras para promover o jogo”, complementou Judy, esperando ainda pelo surgimento das futuras superestrelas da WTA.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis