Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Moya diz ter visto Rafa perdido no começo do saibro
28/05/2019 às 07h58

Paris (França) - Principal nome do circuito quando chega a temporada de saibro, o espanhol Rafael Nadal teve um 2019 bem menos brilhante do que o de costume e demorou um pouco mais para se encontrar no seu piso favorito. Carlos Moya, um de seus treinadores, afirmou que o atual número 2 do mundo iniciou a série de torneios sobre a terra batida com a confiança em baixa.

“Nunca é fácil voltar depois de precisar desistir de um torneio no meio, ainda mais para alguém tão competitivo como ele. Não poder jogar por causa de uma lesão é algo realmente duro e desta vez foi ainda pior. A recuperação da lesão no joelho foi relativamente simples, mas há também o aspecto mental e o físico. Isso ficou evidente nos torneios seguintes”, disse Moya em entrevista ao site da ATP.

“Foi uma surpresa o que fizemos, principalmente em Monte Carlo, onde chegamos com pouca preparação e numa situação mental ruim. Nunca vi Rafa assim no saibro, estava com a cabeça baixa e sem motivação. Parecia ter perdido a motivação e o desejo. Estava em uma situação difícil e tentamos animá-lo para seguir adiante”, acrescentou o técnico espanhol.

Para Moya, se Roland Garros fosse antes de Barcelona, seria muito pouco provável que Nadal tivesse condições de ganhar. “Fisicamente não estava bem, sua bola era mais lenta, cometia mais erros e corria menos, chegando atrasado nas bolas. Também estava com medo, mais fragilizado e havia mais dúvida para saber quando atacar e quando defender”, pontuou.

Contudo, o treinador de Nadal fez questão de enaltecer o trabalho e a força mental do pupilo, que lutou bravamente para se recuperar e dar a volta por cima. Depois de passar os três primeiros torneios de saibro sem um título sequer, caindo nas semifinais em Monte Carlo, Barcelona e Madri, ele se reencontrou e faturou o Masters 1000 de Roma, chegando com tudo para Roland Garros.

“O mais importante foi reconhecer o que estava acontecendo para depois recuperar seu nível. Fez o que era preciso, jogou com atitude positiva e com bravura. Agora, me parece surreal que Rafa esteja jogando tão bem nessas últimas semanas. Cumpriu o objetivo de toda uma equipe”, finalizou Moya.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series