Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Após boas vitórias, Djoko diz estar no caminho certo
30/05/2019 às 17h25

Sérvio acredita que consegue jogar seu melhor tênis nos Grand Slam

Foto: Divulgação

Paris (França) - Ainda sem perder sets nas duas primeiras rodadas de Roland Garros, Novak Djokovic diz estar no caminho certo em busca de mais um título de Grand Slam. Assim como já havia acontecido na estreia, quando superou o polonês Hubert Hurkacz, o líder do ranking mundial saiu de quadra satisfeito com sua atuação, desta vez contra o suíço Henri Laaksonen.

"Acho que saquei bem. Eu usei meu forehand de diferentes partes da quadra muito bem e meu backhand está sólido. Fiz dois jogos muito consistentes, sem baixar muito o meu nível. Também não passei muito tempo na quadra. Então tudo está indo na direção certa", disse Djokovic após a vitória por 6/1, 6/4 e 6/3 contra Laaksonen nesta quinta-feira.

Depois de conquistar o Australian Open em janeiro, o sérvio sofreu eliminações precoces em Indian Wells, Miami e Monte Carlo, mas retomou o caminho das vitórias na reta final da temporada de saibro, com um título em Madri e um vice-campeonato em Roma. O jogador de 32 anos comentou sobre sua preparação para os grandes torneios.

"Eu acho que é mais uma questão de mentalidade e de quais são suas prioridades. Eu jogo meu melhor tênis geralmente nos torneios maiores e mais importantes. É por isso que eu tenho conseguido tanto sucesso no esporte", explicou Djokovic, que está em busca de seu 16º título de Grand Slam e o quarto seguido.

"É claro que eu valorizo ​​todos os outros torneios, e cada vez que eu entro em quadra eu quero vencer a partida, mas estes são os torneios onde eu pretendo jogar meu melhor tênis. Então provavelmente, foi esse tipo de mentalidade me permitiu sempre brilhar nos maiores eventos", acrescentou o líder do ranking mundial.

Rivalidades fizeram o sérvio evoluir
Outro fator que influencia na motivação para Djokovic são suas rivalidades com Roger Federer e Rafael Nadal. O sérvio acredita ter se tornado um jogadora melhor por conta dos duelos de alto nível contra o suíço e o espanhol. Ele lidera o histórico de confrontos contra os dois rivais, 28 a 26 sobre Nadal e 25 a 22 contra Federer.

"Uma das minhas maiores motivações é vencer Rafa ou Roger nos grandes torneios. Isso é sempre um grande desafio para mim. Acho que nós conseguimos exigir o melhor uns dos outros. É por causa da rivalidade que há sempre uma nova motivação, penso eu, e uma inspiração para ser melhor que seu maior rival. Sempre foi meu caso".

Próximo rival é italiano vindo do quali
O próximo adversário de Djokovic em Roland Garros é o italiano vindo do quali Salvatore Caruso, jogador de 26 anos e 147º do ranking. "Não sei muito sobre ele, para ser honesto. Nunca treinamos juntos. Vou ter que fazer meu dever de casa e fazer análises sobre ele. Assisti um pouco do jogo dele de hoje enquanto eu esperava pelo meu jogo. Eu vi que ele veio do quali e já tem cinco vitórias seguidas. Portanto, está com muita confiança. Ele não tem nada a perder. Tenho certeza de que ele vai estar muito motivado para jogar o seu melhor".

Comentários