Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Ucraniana faz 30 anos e vive 'pior dia da vida', mas vence
31/05/2019 às 14h51

Lesia Tsurenko é a próxima adversária de Simona Halep em Roland Garros

Foto: Divulgação

Paris (França) - O aniversário de 30 anos mexeu com a cabeça de Lesia Tsurenko na última quinta-feira. A ucraniana tinha um difícil compromisso contra a sérvia Aleksandra Krunic pela segunda rodada de Roland Garros e conta que passou boa parte do jogo abalada por vários pensamentos negativos.

O duelo com Krunic foi suspenso na última quinta-feira por falta de luz natural quando o último set já estava empatado por 6/6 e Tsurenko já havia escapado de um match point. Na manhã desta sexta-feira, a ucraniana conseguiu enfim vencer o jogo com parciais de 5/7, 7/5 e 11-9 para garantir o duelo contra Simona Halep, número 3 do mundo e atual campeã do torneio, na terceira rodada em Paris.

Após a partida, Tsurenko falou sobre tudo o que teve que suportar mentalmente durante o jogo. "O principal problema que eu tive mentalmente ontem foi que era o meu aniversário e eu fiz 30 anos. Estava com tantas coisas na minha cabeça que eu posso dizer que foi um dos piores dias da minha vida".

"Comecei a pensar que agora estou com 30 anos e não tenho mais tanto tempo de carreira e outras coisas negativas. Não era nada muito grave, mas eu não conseguia me concentrar direito no jogo com isso na minha cabeça. E dois dias atrás eu não estava assim", revela a atual 27ª colocada no ranking mundial. Na estreia em Paris, ela havia vencido a canadense Eugenie Bouchard por duplo 6/2.

"Foi muito difícil mentalmente disputar essa partida e meu corpo não estava me escutando. A única coisa que eu queria era que o jogo terminasse logo. Mas tem alguma coisa na minha mente de tenista que me dizia: 'Não, não, e não! Você tem que lutar'. E foi exatamente isso o que aconteceu", acrescenta a ucraniana, que tenta chegar às oitavas de final em Roland Garros pela segunda vez seguida.

Tsurenko ainda conta que disputou parte do jogo com uma raquete quebrada e descreveu a experiência insólita. "Foi muito difícil jogar com um pouco de chuva e com o dia já escurecendo. Salvei match points também. A parte engraçada é que minha raquete quebrou e eu continuei jogando com ela. É como se ela tivesse uma fratura".

Comentários
Faberg
Roland Garros Series