Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Konta: 'Nunca duvidei que poderia ir bem no saibro'
05/06/2019 às 16h16

Konta nunca havia vencido um jogo de Roland Garros antes desta edição

Foto: Divulgação

Paris (França) - Semifinalista de Roland Garros, Johanna Konta vive sua melhor temporada de saibro na carreira. A britânica chegou a Paris vinda de vice-campeonatos em Roma e Rabat, em suas primeiras finais da carreira no piso. Além disso, a jogadora de 28 anos nunca havia vencido um jogo em quatro participações anteriores no Grand Slam francês.

O histórico de poucas realizações no saibro até o início deste ano contrasta com a ótima carreira construída por Konta, ex-número 4 do mundo e semifinalista de outros dois Grand Slam, o Australian Open de 2016 e Wimbledon em 2017. Até por isso, ela sempre acreditou que poderia ter bons resultados também nas quadras de saibro.

"Sei que as pessoas podem olhar para os resultados dos últimos anos, que não foram tão bons quanto eu gostaria, mas nunca duvidei da minha habilidade de jogar no saibro", disse Konta, que aparece atualmente no 26º lugar do ranking e deverá voltar ao top 20 após a boa campanha em Paris. Ela enfrenta na semifinal a canhota tcheca Marketa Vondrousova.

Desde o fim do ano passado, a britânica vem treinando com o técnico Dimitri Zavialoff e tem aprovado a parceria. "Acho que os aspectos do meu jogo em que estou trabalhando podem me ajudar nessa superfície. Eu acredito fortemente que a maneira como estamos trabalhando pode ser aplicada para todos os pisos".

Konta acredita que o fato de já ter disputado as primeiras posições do ranking e a experiência acumulada de grandes torneios tem sido fundamental para ela retomar confiança. Depois de terminar duas temporadas seguidas no top 10, a britânica não havia repetido os mesmos resultados em 2018 e começou a atual temporada apenas no 38º lugar do ranking.

"Com certeza, deve haver algum benefício por eu já estar nesta posição antes. Mas acho que as diferentes experiências que eu tive neste ano também foram importantes. Tive jogos difíceis, como por exemplo na Fed Cup, em que eu estava perdendo. Essas experiências que você acumula ao longo da temporada podem me ajudar em situações como essas", lembrou a britânica sobre as viradas sobre Zarina Diyas e Yulia Putintseva no confronto contra o Cazaquistão pela Fed Cup em abril.

A respeito da contundente vitória por 6/1 e 6/4 sobre Sloane Stephens na última terça-feira, Konta acredita ter feito uma das melhores apresentações de sua carreira. "Estou muito satisfeita com a forma como eu lidei com as condições em quadra e como eu encontrei espaço para fazer o meu jogo. Estou muito satisfeita e feliz".

"Acho que saquei muito bem e mantive uma boa variação de jogo, tornando mais complicado para Sloane encontrar um ritmo", avaliou a britânica, que fez 25 winners, 12 erros, e só enfrentou um break point. "É difícil identificar qual foi meu melhor jogo, porque você está sempre lidando com diferentes tipos de adversárias ou diferentes tipos de condições. Mesmo se você estiver jogando com a mesma rival, ainda será uma partida diferente. Mas é definitivamente uma das minhas melhores performances".

Comentários
Faberg
Roland Garros Series