Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Halep vê torneio aberto, mas crê que Barty é favorita
06/06/2019 às 13h36

Halep aposta que a top 10 australiana tem boas chances de título

Foto: Divulgação

Paris (França) - Campeã de Roland Garros no ano passado e três vezes finalista do Grand Slam francês, Simona Halep não conseguiu repetiu seu excelente histórico em Paris e foi eliminada nas quartas de final. Surpreendida pela jovem norte-americana de 17 anos Amanda Anisimova, a romena traçou seu prognóstico para as fases finais do torneio.

Halep acredita que a australiana Ashleigh Barty, número 8 do mundo, é favorita ao título em Paris. Barty enfrentará Anisimova, 51ª colocada, em uma das semifinais desta sexta-feira. A outra partida terá a britânica Johanna Konta, ex-top 5 e atual 26ª do mundo, e a canhota tcheca de 19 anos Marketa Vondrousova, 38ª do ranking.

"Bem, nada me surpreende mais no tênis. Mas se eu tivesse que escolher, acho que a Barty tem uma grande chance, porque ela é muito talentosa e sente bem a bola. Ela também jogou bem nos torneios anteriores no saibro, então eu acho que ela tem jogo para ganhar o torneio", afirmou Halep após a derrota por 6/2 e 6/4 para Anisimova nesta quinta-feira.

"Sobre a Konta, é a primeira vez que ela ganha partidas em Roland Garros, mas tudo é possível. As outras duas são muito jovens, então a história de 2017 [quando a letã de 20 anos Jelena Ostapenko foi campeã] pode se repetir. Talvez uma delas tenha a chance de vencer o torneio. Duas adolescentes na final seria enorme", avaliou a atual número 3 do mundo.

A romena fez questão de destacar a boa partida de Anisimova e acredita que seja questão de tempo para que a norte-americana lute pelas primeiras posições do ranking. "Eu acho que ela estará no topo em breve, porque ela joga muito bem, tem uma ótima leitura de jogo e tem a boa atitude em quadra. Então eu acho que ela é uma grande jogadora".

"Acho que ela jogou muito bem hoje. Fiz tudo o que podia na partida e em todo o torneio. Estou feliz com o resultado. Não é nada mal fazer as quartas de final em um Grand Slam. Por ser a atual campeã, tinha um pouco mais de pressão, mas acho que fiz bons jogos e saio do torneio com pensamento positivo", avalia a jogadora de 27 anos. "Só estou um pouco chateada porque não consegui fazer meu jogo e não conseguia me mexer normalmente".

Comentários
Faberg
Roland Garros Series