Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Nadal ainda espera enfrentar Federer mais vezes
07/06/2019 às 18h03

Nadal completou 33 anos nesta semana, Federer está com 37

Foto: Corinne Dubreuil/FFT

Paris (França) - Na semana em que completou 33 anos, Rafael Nadal protagonizou o 39º duelo contra Roger Federer. Depois de vencer a semifinal de Roland Garros contra o suíço, que completará 38 anos em agosto, o espanhol afirmou que ainda espera enfrentar o rival em novas oportunidades no futuro.

"É uma realidade lógica, porque os anos estão passando. Todos nós temos nossos pequenos problemas. Nossas idades estão aumentando, mas espero que não tenha sido a última vez ainda", disse Nadal após a vitória por 6/3, 6/4 e 6/2 nesta sexta-feira em Paris. "Jogamos muitas vezes um contra o outro. E quando jogo contra o Roger, sempre espero o melhor dele e me preparo para responder da melhor maneira possível ao tênis dele".

"Nós vivemos esses duelos com uma emoção particular depois de tudo o que compartilhamos na quadra. E é verdade que estamos envelhecendo, mas, ao mesmo tempo, ainda estamos em uma semifinal de Roland Garros. Então, se chegamos até aqui, não podemos pensar em nos aposentar", comenta o espanhol, que marcou sua 24ª vitória contra o suíço. Nos confrontos de Grand Slam, Nadal tem 10 a 3.

Agora com doze finais de Roland Garros na carreira e 26 participações em decisões de Grand Slam, Nadal evita pensar nos números e tem em mente apenas a conquista do título. Em busca da 12ª conquista em Paris e do 18º Grand Slam da carreira, o Rei do Saibro agora espera pelo vencedor da partida entre Novak Djokovic e Dominic Thiem.

"Espero ter muito tempo para pensar sobre isso quando parar de jogar. Hoje, quero apenas aproveitar essa vitória. Claro que foi uma conquista muito importante para mim. Estar na final de Roland Garros mais uma vez significa muito, especialmente depois de todos as lesões que tive".

Nadal elencou os fatores que o levaram a ser dominante na partida desta sexta-feira, que tinha muito vento em quadra e com condições de jogo mais lentas por conta do tempo nublado e com perspectiva de chuva. "Primeiro de tudo, ganhar o primeiro set é sempre um grande passo à frente. O segundo momento chave foi quando eu estava perdendo o segundo set por 2/0, quebrei o saque dele jogando contra o vento e confirmei meu game de saque logo depois".

"E o último momento chave foi quando ele vencia por 4/3 e eu tinha 15-30. Ele não conseguiu quebrar o meu saque e eu consegui quebrar o game seguinte, quando ele tinha 40-0. Pude sair do lado do vento e sacar para o segundo set", complementou o espanhol, que foi amplamente superior durante o terceiro set da partida desta sexta-feira. 

Comentários