Notícias | Dia a dia | Wimbledon
'É a primeira vez que me sinto importante', diz Pella
09/07/2019 às 10h24

Londres (Inglaterra) - O argentino Guido Pella é uma das maiores surpresas entre os quadrifinalistas da chave masculina de Wimbledon neste ano. Conhecidamente um especialista no saibro, ele derrubou adversários perigosos na grama, primeiro passando pelo atual vice-campeão Kevin Anderson e depois pelo canadense Milos Raonic, sua vítima na última segunda-feira.

Apostando nos pontos longos, o argentino não desistiu da partida em momento algum, mesmo após ver Raonic abrir boa vantagem na partida. “Meu jogo é assim, tenho que alongar as partidas, pois gosto de lutar por cada bola. Foi um momento duro quando fiquei dois sets abaixo, mas depois disso eu passei a jogar melhor”, comentou o atual 26 do mundo.

“Quando ganhei o quarto set, senti que ele estava diminuindo o ritmo, mostrava mais lentidão. Foquei em manter a concentração alta e isso funcionou. Quase chorei quando perdi o terceiro match-point. Ele estava sacando muito bem e não pude fazer nada, por isso foi muito duro. Mas segui lutando e no último ponto da partida foi ele que errou”, acrescentou Pella.

A campanha em Wimbledon é disparada a melhor em Grand Slam do argentino, que até então não havia passado sequer da terceira rodada neste nível. “Nunca imaginei que chegaria às quartas de final em um Grand Slam e por isso é uma ótima sensação. Acho que é a primeira vez na minha carreira que me sinto importante”, comemorou o canhoto de 29 anos.

Seu próximo desafio será contra o espanhol Roberto Bautista, algoz do francês Benoit Paire nas oitavas de final. Será a terceira vez que os dois medirão forças e Pella tentará mais um feito inédito: bater o espanhol que o venceu na primeira rodada do Australian Open de 2017 e nas quartas de final de Munique deste ano.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series