Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Konta considera pergunta desrespeitosa e é enfática
09/07/2019 às 21h51

Britânica não gostou do tom paternalista de uma das perguntas após a partida

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - Eliminada nas quartas de final de Wimbledon, Johanna Konta lamentou a derrota sofrida para Barbora Strycova nesta terça-feira. O resultado adiou o sonho da torcida britânica em ver um novo título de uma jogadora da casa, o que não acontece desde 1977 com Virginia Wade.

"Ela estava jogando muito bem e eu não consegui encontrar o nível que eu precisava para desafiar alguém com o estilo de jogo dela. É muito difícil jogar contra ela, especialmente nesse piso", disse Konta após a derrota por 7/6 (7-5) e 6/1 para Strycova. "Fiz o meu melhor hoje, mas infelizmente não foi o suficiente. Não me arrependo de nenhuma decisão ou opção que tive hoje. Fiz o melhor que pude".

Na entrevista coletiva após a partida, Konta passou por outro contratempo. Ela não gostou do tom paternalista de uma das perguntas e se sentiu desrespeitada por um dos jornalistas na sala de imprensa.

Confira a transcrição do diálogo.

Jornalista: Olhando para números, foram 33 erros não-forçados. Você jogou smash direto na rede, e então no final do segundo set você fez uma falta dupla, e depois errou um voleio. Você não precisa olhar um pouco mais para você mesma na hora de lidar com esses pontos importantes? Você está dizendo que isso tem muito a ver com sua adversária, mas houve pontos-chave quando você poderia ter feito melhor.

Konta: Isso é sua opinião profissional sobre tênis?

Jornalista: Não, digo isso apenas como um espectador assistindo o jogo como todos os outros na Quadra Central. E os números são da IBM.

Konta: Não acho que você precise me tratar de maneira tão dura. Quero dizer, acho que sou muito aberta com todos vocês. Eu digo como me sinto. Se você não quiser aceitar essa resposta ou não concordar com ela, tudo bem. Eu ainda acredito no tênis que eu jogo. Eu ainda acredito na maneira como competi hoje. Sim, eu não tenho muito mais a dizer sobre a sua pergunta.

Jornalista: Só estou perguntando como alguém que quer ver você aprender com isso e ganhar um Grand Slam um dia.

Konta: Por favor, não seja paternalista comigo.

Jornalista: Não estou sendo paternalista com você.

Konta: Não, você está. Na maneira como você está fazendo sua pergunta, você está sendo muito desrespeitoso. Eu sou uma competidora profissional que fez o seu melhor hoje, e isso é tudo o que eu posso dizer.

Ex-número 4 do mundo e atual 18ª colocada, Konta tem três semifinais de Grand Slam no currículo. Uma delas aconteceu em Wimbledon, há dois anos. A jogadora de 28 anos ainda persegue sua primeira final em torneios deste porte. "Não vou ser uma uma jogador menor ou uma pessoa pior se eu não passar desse ponto. Igualmente, não fico maior se eu fizer isso. Eu sempre joguei com dignidade e amo esse esporte. Sou grato por tudo que me traz".

Comentários
Faberg
Roland Garros Series