Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Perto de recorde, Serena se sente melhor que em 2018
11/07/2019 às 17h32

Serena precisa de mais uma vitória para conquistar o 24º Grand Slam

Foto: Divulgação

Londres (Inglatera) - Falta apenas uma vitória para Serena Williams conquistar seu 24º Grand Slam e se igualar a Margaret Court como as maiores vencedoras de todos os tempos. Finalista de Wimbledon, Serena já esteve nessa situação por duas vezes no ano passado, mas perdeu tanto em Londres quanto em Nova York. Agora, a norte-americana garante estar em situação muito melhor que em suas duas últimas finais de Grand Slam, tanto na parte física quanto no aspecto mental do jogo.

"Eu pensei um pouco hoje de manhã, mas depois parei de pensar nisso, porque não importa se eu vou ter 23, 24 ou 25 títulos", disse Serena, depois de vencer a semifinal contra a tcheca Barbora Strycova por 6/1 e 6/2 nesta quinta-feira. "O que realmente importa é que eu vá para a quadra e dê o meu melhor. Não importa o que eu faça ou o que aconteça, eu já tenho uma ótima carreira e isso não muda. Estou muito calma quanto a isso".

Em 2018, Serena perdeu a final de Wimbledon para a canhota alemã Angelique Kerber e foi surpreendida pela jovem japonesa Naomi Osaka na decisão do US Open. "Chegar a duas finais no ano passado foi inacreditável. Mas agora estou numa situação diferente e mais calma", avalia a veterana de 37 anos.

"Em vez de dizer que não tenho nada a perder, sinto que tenho coisas a perder, mas não são tantas. É como se eu estivesse em um meio-termo. Eu realmente quero vencer. Eu nem estava jogando há um mês, mas tudo está se encaixando", comenta a ex-número 1 do mundo e atual 10ª colocada no ranking.

A norte-americana também se lembra da grande partida que Kerber fez para conquistar o título do ano passado e das lições deixadas por aquela final. "É um jogo que já passou e aprendi com ele. Eu estava muito cansada e a Angie jogou em um nível incrível. Não havia muito mais que eu pudesse fazer naquele jogo. Ela claramente merecia vencer".

"Eu estava triste com o resultado, mas ao mesmo tempo orgulhosa de mim mesma por chegar à final. Fisicamente eu não estava bem e depois do jogo eu treinei muito para ficar em melhor forma. A situação de agora é diferente. É verdade que eu não tive a preparação ideal para Wimbledon, porque fiquei duas semanas sem treinar, mas consegui me manter em forma durante todo esse ano para jogar os Grand Slam".

Adversária de Simona Halep na final marcada para sábado, Serena tem nove vitórias e apenas uma derrota contra a romena no circuito. Ainda assim, ela prega respeito à rival de 27 anos e ex-líder do ranking. "Há muitas coisas impressionantes nela. Eu admiro muito sua tenacidade e a capacidade de melhorar o tempo todo. Não posso subestimá-la. Ela terminou o ano número 1 do mundo duas vezes seguidas e sinto que ela está voltando a jogar muito bem".

Perguntada se as quadras deste ano são mais lentas que as de anos anteriores, algo que tem sido comentado por diferentes tenistas, a heptacampeã de Wimbledon disse não sentir diferença. "Eu não sou a jogadora certa para perguntar sobre isso. A menos que a diferença seja extrema e dramática. Eu vim de Compton. Então, tudo está ótimo".

Comentários
Faberg
Roland Garros Series