Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Federer lamenta 'incrível oportunidade' perdida
14/07/2019 às 19h51

Londres (Inglaterra) - Derrotado na final deste domingo, o suíço Roger Federer se tornou o primeiro jogador desde 1948 a perder uma decisão de Wimbledon após ter match-point a favor. O último a deixar escapar o troféu da competição em situação semelhante foi John Bromwich, que desperdiçou três match-points contra Bob Falkenburg e acabou ficando com o vice-campeonato.

Federer lamentou o resultado final contra o sérvio Novak Djokovic, que faturou o pentacampeonato em Wimbledon e conquistou sua 16ª taça de Grand Slam. “Não sei se é pior perder assim ou por um triplo 6/2, talvez não faça diferença no final. Não sei descrever como me sinto agora, mas sei que perdi uma incrível oportunidade que mal posso acreditar”, observou o suíço.

“É uma derrota similar à de 2008, agora me dói, assim como cada vez que perco em Wimbledon. O que preciso fazer é levantar a cabeça e seguir adiante. Não vou entrar em depressão porque perdi uma partida de tênis, vou tentar esquecer isso e tentar pegar só a parte positiva”, acrescentou Federer, lembrando a derrota para o espanhol Rafael Nadal que encerrou uma sequência sua de cinco títulos no torneio.

Apesar da derrota, Federer venceu mais games e também mais pontos (14) a mais do que Djokovic, o que para ele não faz diferença alguma. “Isso não importa. Sei que joguei bem e estive perto da vitória, mas não preciso pensar nisso”, afirmou o destro da Basileia, que agora irá tirar uns dias de descanso e só voltará a competir no Masters 1000 de Cincinnati, pulando Montréal.

O suíço destacou a importância de ter participado da temporada do saibro em 2019, mas não garantiu presença em 2020. “Jogar no saibro me ajudou a chegar em forma, mas não sei ainda se farei o mesmo no ano que vem. Sei que me senti muito bem em Halle e também aqui”, comentou o número 3 do mundo.

Questionado sobre a diferença de títulos de Grand Slam para Nadal, que tem dois a menos, e para Djokovic, que agora tem quatro a menos, Federer disse tentar fazer sua parte, mas sabe que não pode controlar tudo: “antes era eu que estava querendo alcançar ou empatar os recordes, mas agora estou do outro lado e a motivação é diferente. Não posso proteger meu recorde para sempre”.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series