Notícias | Top Spin
Na Li dá clínica antes de entrar no Hall da Fama
19/07/2019 às 19h42

Newport (EUA) – Campeã de dois torneios de Grand Slam – Roland Garros em 2011 e Aberto da Austrália em 2014 – a chinesa Na Li, a francesa Mary Pierce, dona de quatro títulos de Grand Slam e o ex-número 1 do mundo o russo Yevgeny Kafelnikov participam neste sábado da cerimônia de admissão no Hall da Fama em Newport. Na Li chegou a ser vice-líder do ranking mundial de simples e conquistou nove torneios da WTA. Com tal sucesso na carreira, ajudou a popularizar o tênis na China.

Mary Pierce foi nº 3 do mundo em simples e duplas, ganhou 18 títulos de simples e 10 de duplas. Ela ganhou os Abertos da Austrália (1995) e da França (2000, simples e duplas) e as duplas mistas em Wimbledon (2005).

Kafelnikov, além de ex-líder do ranking mundial, conquistou seis títulos de Grand Slam: campeão de simples em Roland Garros (1996) e no Aberto da Austrália (1999); tricampeão de duplas de Roland Garros (1996, 1997, 2002) e campeão de duplas do US Open (1997), além de medalha de ouro nas Olimpíadas de Sydney (2000) e campeão da Copa Davis (2002).

Destes ex-tenistas, Na Li é o principal destaque por ser a primeira asiática admitida no seleto grupo. A estrela chinesa lembra-se da primeira vez que viu um jogo de tênis na televisão. Era o de Andre Agassi, na época um jovem rebelde que atraía uma legião de fãs. ''Andre Agassi é o meu ídolo'', contou. Os anos se passaram e ela agora também é um ídolo em seu país. "Ela é um ícone na China, uma superstar'', afirmou Mike Silverman, diretor de esportes da “New York's City Parks Foundation”. Nesta quinta-feira, Na Li deu uma clínica para crianças da entidade, em Nova York, muitas das quais asiáticas.

Ela se retirou do tênis profissional em 2014 devido a problemas no joelho, mas continua impactando no tênis em seu país. Em 2011, mais de 116 milhões de chineses viram sua conquista em Paris pela TV. Em 2014, depois de dois vice-campeonatos, enfim conquistou o Aberto da Austrália e ascendeu à vice-liderança do ranking mundial. “Pelo menos, sempre tentei dar o máximo na quadra. Se você tenta tudo, um dia, com certeza, terá a recompensa.''

Hoje, Na Li é mãe de duas crianças e está contente pelo fato de o WTA Finals ser jogado este ano em Shenzhen e de o país ter ganhado outro torneio no calendário internacional este ano, em Zhengzhou. ''É muito bom não apenas para os atletas, é bom também para os fãs que viajarão menos. Eles poderão ver um torneio de alto nível na China.''

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis