Notícias | Dia a dia
Roddick: 'Não se pode subestimar o que Novak fez'
24/07/2019 às 10h40

Atlanta (EUA) - Último norte-americano a levantar um título de Grand Slam, conquistando o US Open de 2003, Andy Roddick vê o atual momento do tênis mundial como talvez o melhor da história, reunindo ao mesmo tempo o suíço Roger Federer, o espanhol Rafael Nadal e o sérvio Novak Djokovic. Para o ex-número 1 do mundo, os fãs deveriam não fazer outra coisa que não aproveitar para curtir o ‘Big 3’.

“Espero que o público consiga aproveitar tudo o que esses três estão jogando e todos os recordes que já alcançaram. Temos que aproveitar os últimos golpes desses caras”, disse o norte-americano em entrevista ao site da ATP. Dono de 32 títulos, sendo um de Grand Slam e cinco de Masters 1000, Roddick fez questão de enaltecer a figura de Djokovic, que há poucas semanas venceu Wimbledon pela quinta vez.

O norte-americano confessou ter se sentido um simples fã de tênis ao acompanhar a final entre ‘Nole’ e Federer pela TV. “Foi dramático, me senti como um fã. E pensar que 10 anos atrás era eu que estava em uma situação semelhante. Fiquei vendo e tentando descobrir o que fariam, qual a estratégia que iriam adotar e os ajustes que fariam durante o jogo”, contou Roddick.

“Foi incrível ver Novak quebrar o domínio de Roger e Rafa, que por muitos anos eram os únicos que ganhavam. Ele tem 16 Grand Slam e por isso as pessoas não podem subestimar tudo o que já fez. Tudo que Novak conseguiu é por seu apetite em alcançar os feitos de Roger e Rafa”, complementou o ex-tenista profissional, que entrou para o Hall da Fama no ano passado.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis