Notícias | Dia a dia
Mesmo sem jogar, Federer pode ultrapassar Nadal
05/08/2019 às 09h42

Miami (EUA) - A vice-liderança do espanhol Rafael Nadal estará em jogo nesta semana no Masters 1000 de Montréal. Campeão do evento no ano passado, em Toronto, ele poderá ser ultrapassado por Roger Federer mesmo sem a participação do suíço. Para não perder o posto de número 2 do mundo, o canhoto de Mallorca precisará pelo menos ir até a final.

Como a diferença atual entre Nadal e Federer está em pouco menos de 500 pontos e o espanhol defende 1.000 nesta semana, ele tem que ao menos que somar os 600 do vice-campeonato. Se cair nas semifinais ou antes no torneio canadense, ele será fatalmente superado pelo suíço, que só voltará a jogar na próxima semana.

Se acabar perdendo a segunda colocação da ATP, o espanhol terá a chance de recuperá-la na semana seguinte, quando a situação se inverte. Como não jogou o Masters 1000 de Cincinnati na temporada passada, Nadal não defende pontos, ao passo que Federer precisa salvar 600 do vice-campeonato no torneio norte-americano.

O sérvio Novak Djokovic seguirá na liderança absoluta independente dos resultados nos dois próximos Masters 1000, já que leva uma confortável vantagem de quase 4.500 pontos para Nadal. Neste período, o número 1 defende oitavas no Canadá (90 pontos) e o título em Cincinnati (1.000 pontos), podendo só ser ameaçado a partir do US Open, quando defende mais 2.000 pontos.

Nadal pode assumir liderança na corrida

Também segundo colocado na corrida para o ATP Finals, que leva em consideração apenas os resultados da temporada, Nadal pode deixar Djokovic para trás. A diferença entre os dois é de exatos 500 pontos e o espanhol pode derrubá-la indo pelo menos até a final, assumindo assim a liderança do ano.

Federer seguirá na terceira colocação, uma vez que não joga e não soma pontos, mas também tem confortável vantagem para o austríaco Dominic Thiem, que vem em quarto com quase 1.400 pontos de desvantagem. Completam o top 8 de classificados para Londres: Stefanos Tsitsipas (5º), Kei Nishikori (6º), Daniil Medvedev (7º) e Roberto Bautista (8º).

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis